“A MAIOR DE TODAS AS IGNORÂNCIAS É REJEITAR UMA COISA SOBRE A QUAL VOCÊ NADA SABE."

quarta-feira, 18 de maio de 2011

O Eremita - Experimento

Exercício 1

Esta meditação será muito útil para pacificar a mente e encontrar-se interiormente.

Comece por escolher o local onde irá fazer esta meditação. Prefira um local calmo, não muito iluminado. Coloque a carta do Eremita, sobre uma mesa no ponto cardeal norte, acenda uma vela e sente-se confortavelmente à sua frente. Feche os olhos, inspire e expire até se sentir relaxado/a e calmo/a.

Sinta que à sua frente se encontra o arquétipo do Eremita. Observe-o bem, veja como ele está em perfeita harmonia com o ambiente que o cerca e detém em si a força interior para superar qualquer obstáculo.

Inspire e expire, sinta-se completamente relaxado/a. Está agora numa estrada comprida, é noite e apenas a luz brilhante da lua ilumina o seu caminho. Ao longe avista o Eremita, um velho frade que caminha na sua direção com passos lentos, porém firmes. Ele dirige-se para si, traz consigo a lâmpada que ilumina o caminho escuro e o bastão onde se apoia.

Encontra-se agora com o Eremita. Ele vem oferecer-lhe a sua luz interior, luz capaz de dissipar trevas. Traz igualmente a sua mente e coração abertos e repletos de luz e paz. Observe-o. Veja como os seus olhos são bondosos, dirija-se a ele e diga-lhe: "Mestre, ilumina o meu ser, ajuda-me a encontrar a minha luz".

O Eremita coloca a sua candeia à altura do seu coração. Abra-o e preste atenção ao velho sábio, ele quer conhecê-lo/a melhor, fale com ele, ele aceitará tudo o que tiver para lhe dizer, até o seu silêncio, pois veio até si para ajudar e não para o/a repreender.

Agora é o momento de encontrar respostas: ouça o silêncio, sem pressa, leve o tempo que achar necessário, escute apenas com o coração.

O Eremita ajuda-o a escolher a chama que se ajusta à sua luz interior, guarde-a no seu coração.

Agradeça e despeça-se dele.

Observe o Eremita a afastar-se e, aos poucos, desvaneça a imagem do Eremita.

Concentre a sua atenção na respiração e saia progressivamente do relaxamento.

Afirmações (conselhos) para a carta do Eremita

- Aprendo com as experiências de cada dia. Cresço, mantenho o equilíbrio e deixo o meu espírito livre para ser verdadeiramente feliz.

- Eu sou a prudência.

- Eu sou a paz do meu silêncio interior.

- Eu sou a sabedoria.

- Eu sou a paciência.

Exercício 2

Sente-se em frente de O Eremita, com as costas direitas e as mãos sobre as coxas. Coloque o arcano num suporte para que apareça direito em frente dos seus olhos. Acenda uma vela azul, a cor do arcano e, num queimador, coloque algumas pedras de carvão onde queimará gotas de essência de narciso.

Depois de estar totalmente descontraído/a, dirija a sua atenção para o arcano e permita que o seu desenho se apodere de si. Imagine como a carta cresce diante dos seus olhos, e as cores e as formas adquirem maior definição: a flor que liberta a luz aos pés do Eremita, o ramo florido por detrás do personagem, que parece agarrado à Lua. Sinta o frescor e a paz da noite e concentre-se no resplendor da estrela que ilumina o céu noturno, e da sua gêmea, que surge por cima da montanha.

Centre agora a sua atenção no homem que medita. A fita que se encontra pendurada da sua testa até aos braços está bordada com o signo de Virgem e com outros sinais planetários. Sinta a paz que o seu rosto transmite. Fixe-se no candeeiro que está aos seus pés e no resplendor mágico que se liberta; o seu fulgor atrai por completo a sua atenção e obriga-o/a a pestanejar. Sinta o formigueiro peculiar no sobrolho, que obriga a fechar os olhos. Dê um passo em frente e encare o Mestre face a face. Já entrou no mundo do arcano. Agora pode sentir o frescor da noite na sua pele, e ouvir o trinar do pequeno pássaro que permanece imóvel perante o homem. O resplendor do candeeiro deixa ver um clarão entre as flores, em frente do homem que medita; adote a posição de lótus e espere. Rapidamente o homem abre os seus enormes olhos e olha para si como se penetrasse na sua alma: mas você não se sente incomodado.

Ao olhá-lo reconhece-o como um velho amigo. É o seu mestre, aquele que sempre o guiou para as respostas que a sua alma procurava, sob a forma de livros, ou encontros, aparentemente fortuitos, com pessoas que deram um pouco de luz à sua vida. Agora pode perguntar-lhe qual é a via de desenvolvimento mais correta para si neste momento, ou pedir-lhe proteção para evitar os perigos do caminho. Inclusive pode solicitar-lhe que se manifeste fisicamente na sua vida, na forma de um mestre em pessoa.

Quando der a meditação por terminada, dê mentalmente, um passo para trás e saia do arcano.

Função do arcano:- Receber a luz

Representa:- A sabedoria que se obtém transcendendo os opostos; o tato

Desperta:- A perfeição e a realização

Desenvolve:- A capacidade de análise e o espírito observador e crítico.


Leonardo Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que procuras? '.' .'.