“A MAIOR DE TODAS AS IGNORÂNCIAS É REJEITAR UMA COISA SOBRE A QUAL VOCÊ NADA SABE."

domingo, 30 de janeiro de 2011

A Força

Aprender a medir os resultados dos atos e transformar-se dono do próprio destino e de si mesmo: É este o sentido profundo e essencial do décimo primeiro arcano do Tarô adivinhatório que significa a força.


É graças a nossa firmeza interior que dominamos os acontecimentos, as circunstancias de nossa vida e o nosso destino, e não graças à força física ou a violência. É o que esta carta simboliza, ou seja, a intensidade física, a firmeza moral, o poder do espírito, a energia controlada, a consciência ativa dominada, e, ainda melhor, a força da alma e do amor.

Particularmente acho esse um dos mais belos arcanos maiores, ela esta associada à décima primeira letra do alfabeto hebraico, Khaf, cujo o significado original é, vazio, palma da mão aberta, e mais tarde, corpo, receptáculo, pois o corpo e a palma da mão aberta servem para receber algo. O veículo mais sensível ao magnetismo (também chamado de corpo sutil ou sopro da vida) é a mão. No centro da palma da mão encontra-se um ponto energético vital que está diretamente relacionado ao coração, conforme explicam a medicina chinesa da antiguidade e a acupuntura.


Uma forma simples de sentir esses pontos é deitando no chão na forma de um pentagrama como a figura abaixo com as mãos abertas ligeiramente separadas do corpo e sem esticar os dedos, concentre-se nos dois pontos vitais que estão situados na palma da mão, então note que começará a sentir um calor nas mãos, talvez até um certo ardor, depende da intensidade de sua energia.

Assim que acabar o estudo dos Arcanos maiores vou publicar aqui uma série de experimentos relacionado a cada um deles, pra que possamos nos harmonizar com seus arquétipos.


Em suma, este arcano representa um personagem que domestica o leão feroz e, abre-lhe as mandíbulas sem esforços, através da ternura e da força do amor. A força de seu amor e de sua alma o faz dominante da violência, da agressividade e do instinto selvagem.


O sentido dessa carta em um jogo é o tornar-se dono de si e/ou da situação em que se encontra. Neste contexto traz a revelação de que, ao exercer um domínio afortunado das situações, obterá o que quiser e atingirá seus objetivos.

Seus significados positivos são: Valor, vontade, vitória obtida com sua doçura, domínio dos instintos, paz interior, segurança, determinação, firmeza, domínio, confiança em si mesmo, e temperança.

Os significados negativos são: Rigidez, obstinação, teimosia, conservadorismo, autoritarismo, rigorosidade e recusa a ceder.

Na astrologia está associada ao planeta Marte e ao signo de leão. No tarô bíblico está associado a figura de Sansão.

Poucos fazem essa associação mas eu associo essa carta ao amor, a força que o amor tem: Gandi disse: Quando alguém alcança a plenitude do amor, neutraliza o ódio de milhões. Madre Tereza de Calcutá disse: O amor é a força mais poderosa que existe. (http://rochamystic.blogspot.com/2010/11/o-amor.html)


Em si esta carta exprime a ideia da força e da vitalidade. A moça que figura na carta leva sobre a cabeça o símbolo do infinito. O arcano 11 está no meio dos arcanos 8 e 14, nele (arcano 11) encontra-se o simbolismo do arcano 8 transformado no plano físico, que a imagem da força que é dada pela ciência sagrada (arcano 2) aplicada com justiça (8). A força, que até agora estava em seu potencial de manifestação, manifestou-se no arcano 11; ela vai equilibrar-se no arcano seguinte.


Este arcano é o ousar, e a autoridade da fé e a coragem, domar as paixões, é o vencer de cada vício por uma virtude. Combatendo o Orgulho com a castidade e a humildade, combater a preguiça com a diligência e a magnanimidade, combater a gula com temperança e paciência, combater a Ira com paciência e humildade, a inveja com a caridade e diligência, combater a luxúria com a caridade e castidade, combater a avareza com a magnanimidade e a temperança.


Pra tudo isso faz-se necessário a Força em seus sentido espiritual a “persuasão” que por “acaso” é o nome deste arcano no baralho egípcio. Esta carta reforça a ideia de nunca desistir dos objetivos, dominando assim com controle das emoções a situação em si.

Na numerologia o número 11 é em si um número afortunado, assim como o 7 o 9 e o 22. É o número em si dos médiuns, têm em geral a mediunidade mais aflorada ou maior facilidade para faze-lo. Tratando-se de bens materiais também, mais especificamente o 11 e o 22.

Os aspectos do número 11 são:

NEGATIVO

• APREENSÃO, NERVOSISMO, VÍCIOS

• PARANÓIA, MANIA DE PERSEGUIÇÃO

• NEGLIGÊNCIA EM RELAÇÃO AO MATERIAL

• INSTABILIDADE

POSITIVO


INSPIRAÇÃO, INTUIÇÃO

• SENSIBILIDADE DESENVOLVIDA

ESPIRITUALIdade

•SENTIDO ARTÍSTICO, HABILIDADE









No i ching é 26 – Ta Ch’u – O poder de domar o grande.

video

Leonardo Rocha '.'

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A Roda da Fortuna





O que está por cima um dia estará por baixo, dizia um ditado da idade média. Essa carta nos evoca o significado dos ciclos em nossa vida o primeiro ciclo referencial que a humanidade percebeu sem duvida foi o ciclo do dia e da noite. Por girar continuamente nos remete busca do equilíbrio perfeito entre as forças opostas nos caminhos de nossa jornada.

Nos quatro cantos da carta, estão os quatro animais místicos da revelação: o homem, a águia, o touro e o leão. Na roda em si existe escrito a palavra T-A-R-O que também pode ser lido R-O-T-A. ("Sator arepo tenet opera rotas...", "Qualquer ponto é o centro do Universo".) Entre elas veem-se as letras hebraicas Iod, He, vav, He, que formam o nome de Deus. Os eixos da roda são decorados com os símbolos alquímicos do mercúrio, enxofre, sal e água. A direita sobe Hermanubis, o gênio do bem e a esquerda desce o gênio do mal, Tífon, sobre a Roda da Fortuna a Esfinge mostrando o equilíbrio segura uma espada em suas garras de leão. A primeira ideia geral é expressa pelo ternário, Hermanubis ou positivo, Tífon ou negativo, e a Esfinge equilibrada e dominante.

Lembrando que “fortuna” aqui não significa riqueza vem da palavra “fors” que significa sorte, seja ela boa ou má, no entanto sorte no sentido de "cumprimento da lei., Karma.

Quando essa carta aparece, geralmente revela uma situação em vias de evolução ou involução, a diferença estará na carta seguinte. Na verdade refere-se a um fato ou acontecimento que está se desenvolvendo, porém resultante de nossos atos anteriores. Pode também tratar-se de uma situação na qual podemos intervir, para que essa se transforme ou mude. De qualquer forma essa carta nos remete ao que nos podemos fazer pra mudar algo que está em desenvolvimento geralmente pra melhor.

Esta ligada as letras I e Y e ao número 10 significando mudança, evolução ou involução, está associada ao signo de virgem, com o Sol e com a Lua. Está associado também a Saturno por ter relações com Cronos, o Mestre e Senhor do tempo. A letra Iod representa hieroglificamente o dedo do Homem, o indicador do homem em posição de comando. Daí esta letra tornar-se a imagem da manifestação potencial, da duração espiritual, enfim, da eternidade, do tempo e de todas as idéias a ele relacionadas.

Numerologicamente relaciona-se com o número 1 (10; 1+0 = 1), que é o início de tudo, justamente o significado de seu simbolismo, recomeço, ciclos.

Seus significados positivos são: Oportunidade, progresso, resultado positivo, circunstância favorável, êxito efêmero, possibilidade de agir ou intervir.


Seus significados negativos são: Involução, insegurança, incerteza, regressão, instabilidade, perda, fracasso.

Outro simbolo que evoca bem o sentido do tempo é o Ouroboros que além de significar a roda de reencarnações nos a uma dimensão dos ciclos em nossa vida.


Nota-se a presença do conhecimento cíclico na maioria dos ensinamentos. ( A figura abaixo é um antigo avental maçônico).

Em seu sentido filosófico essa carta nos remete a efemeridade da vida, muitas vezes damos valor excessivo aos bens terrenos, as coisas que “parecem” reais, as pessoas que vivem a nossa volta, todos passam, tudo muda, hoje é diferente do que foi ontem e amanhã será diferente do que é hoje, a vida sempre está em movimento, e o mais importante fica, nossa essência, mas como será que reagimos a essas coisas que passam? Será que elas melhoram isso que é perene, nossa essência?

O valor que damos a vida e a forma com que lidamos com o efêmero é que vai dizer se valeu a pena viver. Ter plena consciência dos ciclos em nossa vida é que faz com que vivamos com maestria, sabedor de que a vida está em constante movimento sei que devo economizar, sei que devo, aproveitar cada instante do lado da pessoa amada, não prendendo-a ou possuindo-a mas amando desprendidamente, pois sabemos dos ciclos, sabendo dessa Lei cuidaremos de nossa saúde enquanto ela está em pleno vigor não deixando de dormir, não cometendo excessos pois sabemos que amanhã podemos não ter saúde. Talvez como um complemento faz alusão a carta do mago como se o mago tivesse a prática e já no retorno, (1 novamente) ele tem a teoria e pode aplicar de forma perfeita as Leis.


Uma pequena meditação na figura abaixo vai nos mostrar uma série de ligações entre a Tetraktys pitagórica, cabala, numerologia, alquimia, astrologia e química.


A definição desta carta como Karma é muito viva no hinduísmo pois está exatamente entre os arcanos 7 e 13 onde o Arcano 7 é Brahma, O criador, o arcano 10 é Vishnu o conservador, e o arcano 13 é Shiva o Destruidor.


No tarô bíblico está associada a figura de José de Arimatéia, na cabala está associada a malkut.

Na década podemos identificar coisas bem interessantes, como por exemplo o fato de que os muçulmanos dizem que foram 10 os animais admitidos no paraíso, na bíblia também tem alguns fatos, 10 gerações de Adão a Noé, e 10 de Sem até Abraão. As 10 graças espirituais da Cristandade são: O Amor, alegria, paz, longanimidade, delicadeza, bondade, fé, prudência, mansidão e temperança. Pitágoras exemplificou com a Tetractys a soma dos 4 primeiros números (1+2+3+4 = 10).



10 são os mandamentos, 10 instrumentos para os quais os Salmos judaicos foram compostos, 10 cordas no saltério, e o espírito Santo desceu 10 dias depois da ascensão de Cristo. Na cabala são 10 as Sephiroth. No talmude em Eiruvin, 100.2 diz que foram 10 as maldições proninciadas contra Eva. Abraão foi provado 10 vezes, 10 milagres foram realizados no Mar Vermelho, 10 pragas foram lançadas obre o Egito, Boaz escolheu 10 testemunhas para seu casamento com Rute. Haviam 10 virtudes Pitagóricas de Iniciação e os budistas ensinam 10 paramanitas de perfeição. Eliphas Levi diz que há 10 nomes para o ouro, os Puranas Hindus falam de 10 avatares.

No I ching é 50 Ting – O caldeirão


Leonardo Rocha '.'

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O Eremita



O Iniciado é aquele que possui a lâmpada de Trismegisto, o manto de Apolônio e o bastão dos patriarcas.

Eliphas Levi

O aspecto deste arcano nos revela que ele não se encontra à procura do seu caminho, mas está nos mostrando esse mesmo caminho.

O Ermitão é um condutor, um guia. O lampião a sua frente significa a Luz da sabedoria que ele leva a frente de seu rosto. Neste arcano do Tarô, o portador do lampião é um vigia, cujo símbolo é da consciência desperta, da alma eterna, da vigilância, da clarividência e da iluminação interior. Aparece então o Ermitão como um mestre da Luz, um guia, um iniciador. Carrega o facho, o archote, a lâmpada da luz autêntica, da verdade; lâmpada esta que, conforme a etimologia, serve tanto para iluminar como para brilhar no sentido de ser vitorioso. Dessa maneira, sabemos que o Eremita sabe perfeitamente onde está e para onde vai. Traz o bastão, como uma representação simbólica da serpente ou das forças das energias principais, terrestres ou cósmicas, regeneradoras, circulantes por nossa coluna vertebral, de baixo pra cima e de cima pra baixo, ininterruptamente. No Tarô bíblico é o apostolo Pedro, que se agarra a sua luz e segue seu caminho, muito embora o cajado do Eremita nos lembre da sabedoria de Moisés que mostra manifestar com suas “batidas no solo” “a cólera” de Yahvé. Trata-se também do caduceu de Hermes. A lâmpada de Trismegisto ilumina o presente, o passado e o futuro. Exibe a nudez da consciência dos homens e ilumina o âmago do coração das mulheres. A lâmpada brilha com a chama tríplice, o manto se dobra três vezes e o bastão se divide em três partes. O número nove é portanto aquele dos reflexos divinos, expressa a ideia divina e toda a sua potência abstrata.


Ermitão ou Eremita?

Do grego “Eremitus” quer dizer deserto, ermo, mais tarde em sua origem latina passou a significar pessoa solitária que vive em um deserto em solidão ou seja, um ermitão. O seu significado nos remete a valorosa “voz do silêncio” que é tão conhecida por nós místicos, é quando nos isolamos que conseguimos ouvir nosso “Mestre interior”.


O Ermitão nos leva ao vazio, ao isolamento, à solidão e, graças ao cajado das forças regeneradoras que circulam em nós e ao lampião do nosso espírito iluminado, simplesmente nos ajuda a seguir nosso caminho.

Em um jogo de cartas o Eremita faz o anúncio de um ato concreto do qual você é consciente. Ela pede pra que se olhe o fato com mais lucidez e capacidade de discernimento e coloca-o frente ao fato consumado. Ela recomenda também que seja prudente, perspicaz, avançar cada passo em seu compasso, considerar as ideias e os projetos a longo prazo, exorta a distância e ao isolamento que se deve ter afim de que a Luz do problema seja vista e assim sua resolução.

O Ermitão pode ser alguém do seu meio, que lhe dará bons conselhos ou você mesmo em virtude de suas introspecções. Pode significar alguém mais maduro com sabedoria e discernimento em sua vida que lhe ajudará ou simplesmente uma fase de isolamento em sua vida, por fim, de toda maneira, sempre é uma travessia pelo deserto.


Astrologicamente é análogo ao signo de Leão (Lampião) e ao planeta Saturno (cajado), especificamente o primeiro decanao do signo de Leão (regido pelo Sol). Ela em sí é o signo de câncer.


Podemos colocar por resumo os significados positivos do Ermitão a sabedoria, a tomada de consciência, lucidez, clarividência, idéias brilhantes, paciência, prudência, solidão fecunda, estudos e investigações e vigilância. Seus aspectos negativos são, extravio, isolamento desnecessário (Depressão), desconfiança, ceticismo, recusa de qualquer conselho e recolhimento de si mesmo.

O Eremita como já falado nos evoca o sentido do silêncio, do calar-se, então não deixa de nos remeter a prudência de nossos pensamentos, falas e atos.

Como já perceberam que gosto de falar de números vou falar um pouco do número 9 já que esse arcano o representa.

A enêada é o primeiro quadrado de um número ímpar. Dizia-se que é como um oceano fluindo em torno dos outros números dentro da década. A esfera do Ar é estruturada de acordo com o sistema novenário, e irmã e esposa de Júpiter por sua conjunção na Mônada. É telésforo ou terminador, porque a progênie humana é levada pela mãe durante 9 meses do calendário.

Chamo a atenção para o fato de ela ser um emblema da matéria, que, sempre variável, nunca é destruída; assim o número 9, quando multiplicado por qualquer número, sempre se reproduz; assim: 9X9=18 / 1+8= 9, e assim por diante como segue:

9x3 = 27; 2+7=9

9x4 = 36; 3+6=9

9x5 = 45; 4+5=9

9x6 = 54; 5+4=9

9x7 = 63; 6+3=9

9x8 = 72; 7+2=9

9x9 = 81; 8+1=9

9x10 = 90; 9+0=9

9x11 = 99; 9+9 = 18; 1+8=9

9x12 = 108; 1+0+8 = 9

9x13 = 117; 1+1+7 = 9

Na redução teosófica basta cortar os “9” Exemplo com o número 624598296949

Sem cortar os 9:

624598296949

6+2+4+5+9+8+2+9+6+9+4+9 = 73; 7+3 = 10; 1+0 = 1

Cortanto os 9:

62458264

6+2+4+5+8+2+6+4 = 37; 3+7=10; 1+0= 1

Resumindo:

6+2+4+5+9+8+2+9+6+9+4+9 = 73; 7+3 = 10; 1+0 = 1

6+2+4+5+8+2+6+4 = 37; 3+7 = 10; 1+0 = 1


Alguns fatos com o 9. À nona hora nosso salvador exclamou o último suspiro; no nono dia os antigos sepultavam seus mortos; após nove anos Numa recebeu suas Leis de Jove; o número 9 prevalece contra pragas e febres, promove vida longa e saúde, e por ele Platão ordenou de tal forma os acontecimentos que morreu com idade de 9 vezes 9. São 9 Ordens de anjos, diz Gregório, 381 d.C, na Homilia 341: Serafins, Querubins, Tronos, Domínios, Virtudes, Potestades, Principados, Arcanjos, à nona hora Jesus, o Salvador, expirou, no salmo 145 encontramos 9 razões pra louvar a Deus, os Ritos de Elêusis duravam 9 dias, os Rosacruzes sabem da importância do 9 Grau na Ordem bem como o 18° (1+8=9) na maçonaria e sua relação com a rosacruz.


Na cabala esta relacionada a letra Teth (simples) e a Iesod.

No I ching 52 Kên / A quietude, a montanha.

Que possamos nós místicos, iluminar nosso caminho com esse lampião da sabedoria interior no silêncio de nós mesmos, cobertos pelo mando que nos torna protegidos dos ataques da ignorância e que possamos no caminho da solidão incógnita, sermos prudentes e pacientes com as fraquezas dos nossos irmãos e nossas também agindo com a determinação de nosso cajado e a honradez que nos faz verdadeiros iniciados.

Leonardo Rocha '.'

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A Justiça



Há um ditado que diz: “A escolha faz o homem”. Na verdade, depois de optar, tomar uma decisão, uma direção e dado o sentido à sua vida – como fez "os Enamorados" - , o Mago já príncipe, governa seu carro celeste, que voluntariamente se orientou pela direita e para vitória. Seguiu o caminho da Luz e da Vida, porém a Luz e a Vida não são eternas na Terra e sim, alternadas com a morte e com a noite.


Assim, mesmo pleno de vontade, de sua força, de seus esforços e da certeza que tem de vencer, de chegar ao fim, de obter êxito, é necessária a presença de nosso mago transformado em um príncipe, um trunfo essencial para avançar pela corda bamba do seu destino como acrobata, para eliminar o risco de cair para a esquerda ou para a direita, atingindo assim o equilíbrio. O que está fazendo o nosso príncipe de fato? Segue-se orientando para o futuro com a determinação de quem não tem a menor dúvida de que pode alcançar seu objetivo. Mesmo assim este terá a consciência de que, nem todos os meios valem para conseguir os fins de que temos direitos e deveres tanto em relação a nós próprios como aos outros?

Da forma como se apresenta no seu carro, ele ainda não sabe, porém tem vontade e estar disposto a aprender.

Acerca da Justiça não se interpreta aqui nesta carta no sentido de Justiça dos homens, seus códigos e suas leis, a este arcano atribui-se a noção de equidade, rigor moral, imparcialidade, honradez e integridade etc... O que parece às vezes lógico, razoável, saudável ou justo, nesta ou naquela circunstância, neste ou naquele momento, não é forçosamente moral perante a vida.

Uma primeira interpretação desta carta é que ela nos mostra a necessidade de encontrar um equilíbrio entre vários elementos contraditórios, entre forças ou ideias que estão em jogo em uma determinada situação. Seja em que momento for esse arcano evoca em seu sentido uma atitude imparcial, rigorosa, íntegra, disciplinada e justa, tal como seja a Justiça Divina. Essa carta também nos remete a uma Justiça consigo mesmo em que em certos momentos é preciso fazer o necessário deixando a própria vontade de lado. É claro que a aparição desta carta pode anunciar a intervenção da justiça dos homens na nossa vida: seja porque precisamos recorrer a ela em uma situação difícil, ou por já termos algo em andamento nela.


O Oitavo arcano do tarô é representado pela letra “H” e pelo número 8 significa em suma, o Equilíbrio, está associado ao signo de Câncer e Libra e ao planeta Vênus.

Basicamente seus significados positivos são: Equilíbrio, honestidade, rigor moral, lucidez, verdade, disciplina, harmonia, instinto, decisão firme e justa, imparcialidade, discernimento e clareza. No entanto também tem seus significados negativos que são: Decisão arbitrária, injustiça, parcialidade, dureza moral, intransigência, intolerância e erro de julgamento.

Podemos constatar muitos desses significados e suas aplicações em nossa vida prática, principalmente por pessoas que detêm o poder, mas não devemos nos eximir de culpa em nossa vida cotidiana. Um exemplo claro disso é a parcialidade que muitas pessoas que participam de sociedades em comum tem em favor dos “seus”. Sejam de uma Igreja, uma Ordem, empresa ou partido político. Essa parcialidade que deve ser combatida.

Seus verbos são: Avaliar, estabilizar, julgar, arbitrar, estimar, equilibrar, resolver, transigir e agir.

Seu simbolismo geral gira em torno da espada e da balança, a balança significando a equanimidade e a imparcialidade bem como o equilíbrio do assunto em questão, enquanto que a espada significa o cumprimento da Lei. Encontramos aqui o simbolismo dos arcanos 2 e 5. A mulher sentada ocupa o meio das colunas, primeira ideia do equilíbrio entre o bem e o mal, bem como a dualidade já expressada no segundo Arcano. A ciência oculta de início, teórica, tornou-se prática e foi ensinada oralmente. Agora ela aparece em todo o rigor de suas consequências, terrível para o falso Mago (espada), mas justa para o verdadeiro Iniciado (balança). Este arcano ocupa o meio como significado, entre os arcanos 5 (He) e 11 (caf).

Na Cabala está associado a Sefira Netsach.

Partindo pelo pré-suposto de sermos imperfeitos, somos também injustos, não temos o domínio da Justiça senão teríamos completa e perfeita compreensão das Leis divinas o que não é o caso da humanidade. Se nós somos injustos em nosso limitado julgamento é porque não sabemos como equilibrar os fatos e não temos também a sabedoria necessária para tal. A Letra Heth exprime, hieroglificamente, um campo. Daqui a ideia de “Todo” o que exige um trabalho, uma pena, um esforço. O poder equilibrante concedido por essa letra foge a nossa percepção, é o poder que tudo equilibra sem nossa participação, são as Leis de Deus em ação. Podemos identificar isso facilmente hoje em dia com esses “acertos” naturais que tem ocorrido em nosso planeta, o Homem invade florestas e mares no entanto a natureza precisa se acertar, precisa fazer uma compensação, é a Lei do equilíbrio agindo, não é a “Mão severa de Deus” como muitos afirmam, mas sim o poder de conservação das Obras divinas evocado pelo simbolismo da letra Heth. Justiça. Muitos se levantam pra dizer que nosso País (Brasil) é abençoado por Deus, por isso não temos terremotos e outros fenômenos naturais, calma não vamos nos precipitar. A Lei se cumpre sempre, compreendamo-la ou não, nada acontece à um povo que esse não tenha merecido no passado (ai entra o cumprimento da Lei de reencarnação) além de evocar o verdadeiro sentido da Justiça da Divindade.


Na numerologia está associado ao sucesso financeiro e ao equilíbrio do espiritual com o material.

Algumas curiosidades com o número 8:

As oito pessoas salvas do dilúvio de Xisuthrus são sinônimas de muitas oitavas de deuses, tais como os 8 cabírios, grandes deuses da Samotrácia; veja Bryant e Faber sobre esse mito.

Há 8 bem aventuranças na religião cristã, Mateus Cap. 5.


Houve muitas ordens maçônicas relacionadas com essa Ogdôada Noéica, como os prussianos, cavaleiros do machado Real ou príncipe do Líbano, os Noaquitas e os Navegante da Arca real.

John Heydon diz-nos que 8 eventos acontecem ao condenado e que há 8 recompensas para os Bem-aventurados.


Os judeus costumavam praticar a circucisão de seus meninos no oitavo dia do nascimento. Por ocasião do Chanucah ou festa da dedicação, os judeus acendiam 8 velas e essa festa durava 8 dias. Quanto à conjuração entre os antigos judeus, diz-se no Talmude, Succah, 53.1, que Levi usou 8 facas; Samuel na presença do Rei Sabor da Pérsia usou 8 taças e Abaji perante o Rabi Rava utilizou 8 ovos. Está profetizado que as Harpas que soarão na terra antes do Messias terão 8 cordas. Erachin, 13.2.

888 é o número de Jesus Cristo em oposição ao 666, o número da Besta.


O 8 para os chineses é muito importante não foi a toa que abriram as olimpíadas às 8h08 do dia oito, do mês oito, de 2008, no entanto não é por simples superstição que gostam do número 8, eles compreendem a vibração das palavras e em mandarim, a pronúncia do ideograma que representa o oito é quase igual ao da palavra fortuna. A pronúncia de oito é Pá e a pronúncia de fortuna é Fá.

Para os Vedas o óctuplo (sânsc. ashtanga-marga) caminhos de Budha (correspondente ao chakra vishuddha), que é o conjunto de atitudes que levam à extinção completa do sofrimento, este são: Visão correta (samyak-drishti); Intenção correta (samyak-samkalpa); Fala correta (samyak-vach); Ação correta (samyak-karmata); Meio de vida correto (samyak-ajiva); Esforço correto (samyak-vyayama); Atenção correta (samyak-smiriti); Concentração correta (samyak-samadhi).


Para o Povo cigano e as Bruxas da antiguidade, até mesmo para as comunidades Wicca o número 8 é tido como o número da “Hora da colheita” e curiosamente a data do Sabbath conhecido como Festa da colheita (Lammas ou Lughnasadh), curiosamente no hemisfério Norte (onde teve origem) é realizado no primeiro dia do 8° mês do ano.

Uma coisa que ainda não compreendi é o porque de Arthur Edward Waite em seu Tarô nascido em 1910 trocou o 8° Arcano tradicionalmente conhecido como “A Justiça” pelo 11° arcano conhecido como “A força”, ele inverteu passando o 11° para o 8° e o 8° para o seu lugar 11°. Ainda não entendi o “porque”.

No i ching é 21 Shih Ho

Leonardo Rocha '.'

sábado, 15 de janeiro de 2011

O Carro




O namorado já optou, tomou uma orientação e decidiu ir em frente apesar dos obstáculos que poderá encontrar no caminho. O Carro poderá demonstrar seu valor e a força de seu caráter, servindo-se de meios para alcançar seu objetivo. É um carro que triunfa e a vitória o espera.

O Carro representa a força e a conquista. Ao conduzir com firmeza as esfinges, o príncipe demonstra firmeza e poder sobre os caminhos.

Muito se tem a falar dessa carta, tanto por seu significado filosófico e interpretativo quanto pelo número que ela representa. O 7 é o misterioso número místico, o número perfeito e da perfeição.

Este arcano simboliza a vitória, a direção, o controle, a confiança, a força e a honestidade, que são impulsionadores do progresso contínuo. Representa também o auto controle, a confiança e retidão nos nossos atos. Com o carro há progresso há projetos em andamento. No plano espiritual, este arcano representa o momento em que o viajante passou pela encruzilhada, tomou um rumo firme e está disposto a cumprir mais etapas evolutivas.


É claro que a interpretação de qualquer carta depende muito de que tipo de lance estar-se fazendo, que cartas estão ao seu redor e em que lugar estão. O que ora cito a respeito desta carta é tão somente seu aspecto isolado e ainda assim em linhas gerais, o mais correto a meu ver é estudar, absorver a energia de cada arcano, vários tipos de lance, daí então em um jogo deixar fluir a intuição, deixar aflorar tudo o que no subconsciente está, sem racionalizar.


A situação anunciada pelo Carro está em desenvolvimento, na qual é conveniente avançar, demonstrar vontade, determinação, valor, com a certeza de alcançar um propósito. Dessa forma, o surgimento deste arcano, incentiva o indivíduo a ir até o fim em suas escolhas, decisões e objetivos. Para obter meios de chegar ao êxito ou à vitória, faz um apelo à sua capacidade, e a todos os recursos de seu espírito. De outro modo, às vezes, o Carro pode indicar movimento que pode ser definido como uma mudança, uma deslocação, uma viagem ou ainda a chegada de uma notícia iminente. Sobre o carro de forma cúbica, encimado por um dossel de azul estrelado suportado por quatro colunas simbolizando os 4 elementos (princípios), adianta-se um triunfador coroado com um círculo sobre o qual erguem-se e irradiam três pentagramas de ouro. Este símbolo reproduz, em uma outra ordem de idéias, o arcano 1 e o arcano 21. As quatro colunas representam os quatro animais do arcano 21 e os quatro símbolos do arcano 1 símbolo do quaternário em todas as suas acepções. O triunfador, que ocupa o centro dos quatro elementos é o Homem que venceu e que dirige as forças elementares; esta vitória é ainda afirmada pela forma cúbica do carro, e os pentagramas que coroam o iniciado.


O triunfador tem, sobre sua couraça, três esquadros superpostos. Tem sobre os ombros o Urim e o Tumim da soberania sacrificial, representados pelos dois crescentes da Lua à direita e à esquerda, e segura na mão um cetro encimado por um globo, um quadrado e um triângulo. Sobre a face quadrada que forma a parte da frente do carro, vemos a língua hindu encimado pelo Sol alado. As duas esfinges correspondem aos dois princípios ativo e passivo. O triunfador corresponde, sobretudo, ao naipe de espadas e ao vô do nome sagrado.


O Carro simboliza a dualidade do signo de gêmeos também nas duas esfinges, uma refletindo o lado positivo e a outra o lado negativo de uma mesma energia, que está em equilíbrio pelo condutor que empunha um “zain” que exprime hieroglificamente uma flexa. O “Zain” exprime a vitória em todos os mundos.

Os verbos do carro são: Querer, progredir, evoluir, perseverar, triunfar.

Seus significados positivos são: Vontade, força, esforço, perseverança, êxito, fortuna, vitória, coragem, determinação, popularidade, boa notícia, mudança, progresso, viagem.

Seus significados negativos são: Incerteza, pusilanimidade, vaidade, fracasso, falta de vontade, desânimo e dispersão.

Na astrologia está relacionado ao Sol e à Gêmeos cujo o regente é Mercúrio.

Na Cabala é Netzah (Eternidade / Vitória) Está associado ao número 7 e a letra “Z”.


Tratado a interpretação da carta vamos ao sentido mitológico, o Carro aqui está representando o trajeto do Sol no céu, é então um símbolo solar. É o atributo do deus grego do Sol, Apolo irmão de Ártemis, deusa da Lua.

Deus da inspiração das artes da adivinhação e principalmente da música e da poesia, seu número é o 7, que traduz o número das 7 notas da escala musical e é, sobretudo, o número da perfeição que une o céu e a terra. (Falaremos melhor sobre isso mais adiante) Também o 7 é o número do carro, Em sua viagem através do céu, o carro de Apolo descreve o teto do mundo que percorre a “estrutura sobre o qual” sustenta a esfera celeste. Cabe aqui mencionar que o termo “estrutura”, em francês se traduz em “charpent”, termo derivado do latim: “Carpentum”, o qual se referia a um determinado carro de duas rodas. Neste mesmo aspecto também o termo português “carpinteiro” deriva daquele termo latino, em que é possível relembrar que, José de Arimatéia, o pai de Jesus, era carpinteiro, e Jesus, frequentemente relacionado ao mito de Apolo, também teve esse ofício.


Na Maçonaria o número 7 está relacionado às qualidades fundamentais: Limites, ultrapassar limites, controle e as qualidades subsequentes: Alcance, regra, lei, inatividade, bloqueio.

No tarô egípcio está relacionado à Hórus que é o grande vitorioso. Aqui interpreta-se que a União entre o intelecto e a intuição será estabelecida, justiça será feita, desonras reparadas e honras recebidas, conquista do que é perseguido com empenho. O número 7 representa o poder mágico em toda sua força; é o espírito auxiliado por todas as potências elementares, é a alma servida pela natureza, é o santum regnum, de que se fala nas clavículas de Salomão.

No tarô bíblico representa José o pai de Jesus que soube conduzir seus passos desde o princípio de sua vida.



Do numero 7

Conceitos e valores:
No alfabeto hebraico, o sete corresponde à letra "zain" = Imaculado
No Mundo Angélico, 7 é Eloim = enviado de Deus.
No Mundo Astrológico, 7 é Mikhael, a inteligência soberana do 9º céu, que é a Lua.
No Mundo Elemental, o 7 é o Reino mineral.
Os nomes divinos:
O 7º nome divino é IEVE TSEBAOTH, que significa "O DEUS DOS EXÉRCITOS" ou, antes, Deus das Ordens Cósmicas; a Lei Divina que rege os mundos.
Na Cabalah, a 7ª sephirah é NETSACH = Vitória sobre a Morte. O 7º caminho é a Inteligência oculta; ela envolve, com esplendor, todas as virtudes intelectuais.
Última curiosidade sobre o número 7:
Muitos séculos depois da morte de Pitágoras, em escavações procedidas no antigo local de sua Academia, foi encontrada uma placa de ouro, com um número gravado. Esse número, que ficou conhecido como o "Número Áureo de Pitágoras" era 1 4 2 8 5 7
Não se sabia o que significava, mas descobriram-se várias coisas interessantes a respeito desse número:
- multiplicado por 2, é como se se pegassem os dois primeiros algarismos e passassem para o fim: 2 8 5 7 1 4
- multiplicado por 3, é como se se pegasse o primeiro algarismo e passassem para o fim:
4 2 8 5 7 1
- multiplicado por 4, é como se de pegassem os dois últimos algarismos e passassem para a frente: 5 7 1 4 2 8
- multiplicado por 5, é como se se pegasse o último algarismo e passassem para a frente:
7 1 4 2 8 5
- multiplicado por 6, é como se se mudass o equilíbrio: trocasse os três primeiros algarismos pelos três últimos: 8 5 7 1 4 2
- multiplicado por 7, é como se tivesse havido um desarranjo na máquina: 9 9 9 9 9 9
Com este último resultado, tiveram uma idéia: como 999999 arredondado é 1, dividiram 1 por 7. O resultado foi:
0,142857142857142857..... ou seja: uma dízima periódica, cujo período é 1 4 2 8 5 7
Concluíram os místicos: o Número Áureo representa as Energias Divinas (1) distribuídas (divididas) pelos seus sete Regentes planetários.
Outra explicação:
Em escavações mais recentes, no local onde situava-se o Templo de Salomão, foi encontrado um medalhão de ouro com a figura a conhecida por "Estrela de Davi" e que é considerada o símbolo do Judaísmo e do Estado de Israel. Em cada vértice dessa estrela de seis pontas, havia uma letra do alfabeto hebraico: eram as letras ALEF, BET, DALET, HÉ, ZAIN e HET. Os pesquisadores procuraram ler o que seria uma palavra :ou um grupo de palavras; tentaram ler em todos os sentidos e não conseguiram nada. De repente, um dos pesquisadores lembrou que as letras hebraicas são, também, números: os números 1, 2, 4, 5, 7 e 8. E estavam arrumados, na figura, da seguinte maneira: o algarismo 1, no vértice superior ; o 8, no vértice inferior; nos vértices da esquerda, os algarismos 4 e 2; nos vértices da direita, os algarismos 7 e 5.
Como a escrita hebraica é lida da direita para a esquerda e, no caso da figura, no sentido anti-horário, os algarismos formavam o número 1 4 2 8 5 7
Verificaram, então, que os múltiplos surgiam da seguinte maneira interessante:
- Qual o segundo número, em ordem crescente? - o 2.
Lendo, a partir do 2, sempre no sentido anti-horário, o resultado é o da multiplicação por 2:
2 8 5 7 1 4.
- Qual o terceiro número, em ordem crescente? - o 4.
Lendo, a partir do 4, no sentido anti-horário, tem-se o resultado da multiplicação por 3: 4 2 8 5 7 1.
E, assim, sucessivamente: quarto número: 5.
1 4 2 8 5 7 X 4 = 5 7 1 4 2 8
Quinto número: 7.
1 4 2 8 5 7 X 5 = 7 1 4 2 8 5
Sexto número: 8.
1 4 2 8 5 7 X 6 = 8 5 7 1 4 2

O número 7 é com certeza é o mais presente em toda a filosofia e literatura sagrada desde tempos imemoriais, até os nossos dias.


O número 7 é sagrado,perfeito e poderoso;afirmou Pitágoras, matemático e Pai da numerologia,sendo,juntamente com todos os ímpares considerado mágico.Pitágoras,foi discípulo de todos os Grandes Mestres do Egito, da Índia, da Grécia, da Fenícia,Caldéia e fundador em Crotona da Escola Itálica. A base de sua doutrina é "a Unidade Divina, absoluta , na qual ele vê a mônada( Unidade simples, indecomponível) das mônadas; a imortalidade da alma a pluralidade das existências num sentido de evolução; a organização harmoniosa do universo baseada na série dos números, à qual ele atribuía maior poder".

Os números são expressões de diferentes processos primordiais, por isso tem significados distintos, eles representam símbolos que se expressam no mundo material e são utilizados para que compreendamos, o que está encoberto pelo"mundo das aparências".

A soma de 3 + 4 = 7 está presente em várias religiões.O 3, representado por um triângulo(a Santíssima Trindade,por exemplo),é o Espírito; o 4, representado por um quadrado(a representação dos elementos do mundo físico:terra, água, ar e fogo),é a Matéria. O 7, é o Espírito na Terra, sustentado pelos quatro Elementos, ou a Matéria "vivificada pelo Espírito". É o espírito encarnado.

O 7 é um número místico por excelência,indica o processo de passagem do conhecido ao desconhecido; ele detém uma clara relevância,não apenas entre nós místicos, porém, também em todas as religiões, das mais antigas às mais modernas.



VEJAMOS ALGUMAS CURIOSIDADES RELACIONADAS AO NÚMERO SETE:


7 são as virtudes: Fé, Esperança, Caridade, Prudência, Justiça, Fortaleza e Temperança.

7 são os pecados capitais: Soberba, Ira, Inveja, Luxúria, Gula, Avareza e Preguiça.

7 são os sacramentos da Igreja Católica: Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Ordem, Matrimônio e Extrema União.

7 são as Obras de Misericórdia:Dar de comer a quem tem fome, Dar de beber a quem tem sede, Vestir os nus, Dar Pousada aos Peregrinos, Visitar os enfermos e encarcerados, Remir os cativos e Enterrar os mortos

7 são os braços do candelabro Judeu, indicando os 7 dias da criação.

7 são as notas musicais com 7 escalas , 7 pausas e 7 valores.

São 7 as cores do Arco- Íris.

7 foram as pragas do Egito.

São 7 os Arcanjos:Miguel, Jofiel, Samuel, Gabriel, Rafael, Uriel e Ezequiel,

7 são as Arcanjelinas:Fé, Constância, Caridade, Esperança, Mãe Maria, Dona Graça e Santa Ametista.

O Pai Nosso e a Ave Maria são orações compostas cada uma delas, de 7 orações (frases).

7 são as Leis Universais:Natureza, Harmonia, Correspondência, Evolução, Polaridade, Manifestação e Amor.

7 são os dons do Espírito Santo:Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade, Temor a Deus.

São 7 as glândulas endócrinas:Hipófise, Tireóide, Paratireoides, Supra-renais, Sexuais, Timo e Pâncreas.

São 7 os nossos chacras :Básico, Esplênico, Umbilical, Cardíaco, Laríngeo, Frontal e Coronário.

7 são os grandes mensageiros:Krisna, Buda, Lao-Tse, Confúcio, Zoroastro, Moisés e Jesus.

No sonho do Faraó Egípcio (Bíblia) tinha 7 vacas gordas, 7 vacas magras, 7 espigas cheias, 7 espigas definhadas . José decifrou o sonho como = 7 anos de fartura e 7 anos de seca.

7 são as personalidades de Deus ( segundo Zoroastro ) :Luz Eterna, Onisciência, Retidão, Poder, Piedade, Benevolência e Vida Eterna.

7 meios tem o homem para se tornar puro ( segundo o Budismo) :Domínio de si mesmo, Investigar a verdade, Energia, Alegria, Serenidade, Concentração e Magnanimidade.

7 são as virtudes:Humildade, Liberdade, Castidade, Paciência, Abstinência, Caridade e Diligência.

7 são as igrejas iniciais do Cristianismo:Éfeso, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Esmirna, Filadélfia e Laodicéia.

7 são as Obras de Misericórdia Espiritual:Dar um Bom Conselho, Instruir os Menos Esclarecidos, Corrigir os que Erram, Consolar os Aflitos, Perdoar as Injúrias, Suportar Pacientemente as Fraquezas do Próximo e Rezar pelos vivos e Falecidos.

A Lua tem 4 fases de 7 dias cada.

No Apocalipse de São João encontramos: 7 Estrelas, 7 Igrejas, 7 Cornos, 7 Selos, 7 Candelabros, 7 Anjos, 7 Trombetas, 7 Coroas, 7 Trovões e 7 Taças.

70 x 7 é a conta do perdão.

7 cores do espectro;
7 notas musicais;
7 mares;
7 maiores continentes;
7 dias da semana;
7 níveis de complexidade;
7 maravilhas do mundo;
7o. dia de descanso.

SETE REINOS

Os antigos cabalistas revelaram que o nosso mundo físico de três dimensões mais a quarta dimensão do espaço e tempo representam apenas uma porção insuficiente da realidade.
Existe muito mais além da limitada percepção humana.

Existem, dez dimensões que formam a realidade.
As três dimensões mais elevadas, chamadas Três Superiores, existem fora da nossa realidade física.
As Sete Inferiores, entretanto, se manifestam diretamente e interagem com o nosso ambiente.

As Sete Inferiores estão relacionadas com 7 planetas de influência astrológica. Como pensava a maioria dos antigos astrólogos os 7 planetas afetavam o nosso reino de experiências, os cabalistas também compreenderam que existiam outros 3 planetas: Netuno,Urano e Plutão mas que eles não tinham efeito direto sobre o nosso mundo.
TECIDO DA REALIDADE

O cabalista do século 13 Rabino Abraham Abulafia disse que estes 7 níveis estão imbuídos na criação. Ele os identificou como:

· FORMA = ENERGIA
· MATÉRIA = PARTÍCULAS SUBATÔMICAS
· COMBINAÇÃO = ÁTOMOS
· MINERAIS = MOLÉCULAS
· VEGETAIS = PLANTAS
· ANIMAL = ANIMAIS
· HOMEM = HOMEM

De acordo com Abrahão o Patriarca, existem 7 portais para a alma. Os olhos podem ser as janelas da alma, mas há 7 portais no total: 2 olhos,2 ouvidos, 2 fossas nasais e a boca.
Abrahão revelou este conhecimento


UM POUCO DO 7 NA BÍBLIA

Há pessoas ensinando que basta “guardar um dia em sete”, ou “qualquer dia pode ser o sétimo”, ou ainda, “não precisa guardar dia nenhum”; atitude semelhante assumiu Lúcifer, tentando subestimar a ordem divina, questionando a Lei de Deus, querendo implantar sua própria vontade, levando anjos, com seu ensino, a também se perderem.

Muitos hoje estão percorrendo o mesmo caminho de desobediência, contornando a vontade de Deus, no intuito de fazer prevalecer sua própria vontade.
Deus ordenou ao homem trabalhar seis dias e descansar no sétimo (Sábado). O homem, porém, está descansando no primeiro dia (domingo) , antes de trabalhar os seis. – Tudo trocado.
É justo isso? Será que Deus se conformará com tal atitude? Cuidado!
Deus não disse: Lembra-te de um Sábado, nem de um dia de Sábado. Ele definiu-o para você (Êxo. 20:8-11).
“O Sábado tem a sua origem na criação. Gênesis 2: 1-3.” – Pastor Carlo Johansson (teólogo Assembleano), Síntesi Bíblica do Velho Testamento, pág. 48.
“O Grande Arquiteto do Universo completou em seis dias Sua obra da criação, e descansou no sétimo dia... No sétimo dia Ele descansou, dando ao homem o exemplo, trabalhando em seis dias e descansando no sétimo.” – Pastor Myer Pearlman (teólogo Assembleano), Através da Bíblia, págs. 14,15.
Dizem que sete é conta de mentiroso. A Bíblia, porém, contradiz frontalmente esse conceito. O sete é predominante nela. No Novo Testamento, por exemplo, há estas referências:
Jesus disse que quando Satanás sai do coração do homem, e os frutos do Espírito não o povoa, ele volta e traz sete espíritos piores. Mat. 12:45.
Sete foram os pãezinhos que Jesus multiplicou para dar comida à uma multidão, e ainda sobraram sete cestos cheios (Mat. 15:34-37). Pedro desejava saber o limite do perdão. Sete vezes? perguntou a Jesus! Não até sete, mas até setenta vezes sete, respondeu Jesus. Mat. 18:21 e 22.
Os saduceus, em abono de sua crença herética, perguntaram a Jesus de qual seria a mulher dos sete irmãos que a desposaram (Mat. 22:24-28). Quando Jesus ressuscitou, a primeira pessoa a vê-Lo foi Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios. Mar. 16:9.
Sete anos também foram os dias de felicidade que tivera ao lado de seu esposo a profetisa Ana (Luc. 2:36). Jesus ensinou que se o nosso irmão pecar contra nós sete vezes em um dia, sete vezes devemos perdoá-lo. Luc. 17:4.
Sete homens foram escolhidos para serem diáconos e ajudar na Igreja Apostólica (Atos 6:3). Sete nações foram destruídas por Israel até que se estabeleceu definitivamente na Terra Prometida (Atos 13:19). Sete foram os filhos de Ceva, judeu principal dos sacerdotes, que tentavam imitar a Paulo, em suas maravilhas e milagres (Atos 19:14). Sete dias ficou Paulo em Tiro, quando o navio em que viajava parou para ser descarregado. Atos 21:4.
Filipe era um dos sete diáconos (Atos 21:8). Sete dias era o prazo para a purificação do templo (Atos 21:27). Sete dias ficou Paulo com os irmãos da Igreja de Potéoli (Atos 28:13 e 14). Sete mil foram os fiéis que não dobraram seus joelhos diante de Baal (Rom. 11:4). Sete dias foi o prazo em que o povo de Deus rodeou os muros de Jericó até derrubá-lo (Heb. 11:30). Sete pessoas foram as únicas que se salvaram juntamente com Noé, das águas do dilúvio. II Ped. 2:5.
Sete são as igrejas da Ásia que João relata em sua visão; sete são os espíritos que estão diante do trono de Deus (Apoc. 1:4). Sete castiçais de ouro João viu em sua visão (Apoc. 1:12 e 13). Sete estrelas viu João na destra de Jesus (Apoc. 1:16). João disse que as sete estrelas são os sete anjos das sete Igrejas, e os sete castiçais, são as sete igrejas (Apoc. 1:20). “Eu sei as tuas obras”, disse aquEle que tinha em Sua destra as sete estrelas (Apoc. 2:1 e 2). Os sete espíritos diante do trono de Deus são comparados por João a sete lâmpadas, ou sete tochas. Apoc. 4:5.
João viu na mão de Deus um livro selado com sete selos. Somente Jesus podia abrir aqueles sete selos (Apoc. 5:1 e 5). Jesus é simbolizado por um Cordeiro com sete pontas e sete olhos, que são os sete espíritos (Apoc. 5:6). “O Cordeiro abriu um dos sete selos” (Apoc. 6:1). Na abertura do selo número sete, houve “silêncio no Céu por quase meia hora” e João viu diante de Deus sete anjos e foram-lhe dadas sete trombetas (Apoc. 8:1-2). Então os sete anjos com as sete trombetas se prepararam para tocar (Apoc. 8:6). “Os sete trovões fizeram soar suas vozes” quando um anjo veio do Céu com um livrinho na mão, colocando seu pé sobre a terra e outro no mar. Apoc. 10:3.
Sete mil homens morreriam através de um terremoto, segundo a profecia de Apocalipse 11:13. João viu no Céu um dragão com sete cabeças e sete diademas (Apoc. 12:3). Depois viu subir do mar uma besta que tinha sete cabeças (Apoc. 13:1). Divisou também um grande sinal no Céu: sete anjos com as sete últimas pragas (Apoc. 15:1)(15+1 = 16 = 1+6 = 7). Posteriormente “um dos quatro animais deu aos sete anjos salvas de ouro, cheias da ira de Deus” (Apoc. 15:7). Após o que ordenou aos sete anjos, derramar sobre a Terra as sete salvas da ira de Deus. Apoc. 16:1.
Em espírito João foi levado ao deserto, onde viu uma besta de cor escarlata que tinham sete cabeças (Apoc. 17:3). As sete cabeças são os sete montes (Apoc. 17:9). São também, segundo o apóstolo, sete reis (Apoc. 17:10). Há um enigma a mais em Apocalipse 17:11: “A besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição.”

Um conselho do Triunfo (O carro): Este momento requer ação e coragem o que não faltarão a você. É momento de transpor os obstáculos que os estavam fazendo andar em círculos, e para isso terá que direcionar todas as suas forças. Com certeza terá sucesso.

No i ching é meng - A insensatez juvenil


Leonardo Rocha '.'

O que procuras? '.' .'.