“A MAIOR DE TODAS AS IGNORÂNCIAS É REJEITAR UMA COISA SOBRE A QUAL VOCÊ NADA SABE."

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Da procura pela prosperidade


É bem verdade que faz tempo que não publicava nada neste blog, em meio a tantas atividades, prioridades devem ser estabelecidas e dentre elas não era o blog uma delas, mas confesso que senti falta de me expressar como fazia outrora.

Tenho visto atualmente na sociedade como um todo, uma crescente procura pela Senda Mística, mas também uma crescente procura pela Salvação. Será verdadeiramente a aproximação do juízo final? Será que o mundo irá acabar mesmo, nosso planeta está prestes a passar por uma renovação, evoluindo seu padrão vibratório, ou será uma busca em massa desesperada por melhoria em suas finanças?

Eu vejo se repetir o que aconteceu há alguns anos atrás, fins do século VII ao início do século XI, quando se falava no fim do mundo e o regresso do Messias, mas não nas proporções como achamos em níveis catastróficos. Houveram boatos assim como houve no fim do Séc. XX e agora em 2012; a grande diferença é que hoje temos veículos de informação sensacionalistas que deturpam conhecimentos e naquela época não. Hoje apesar de tudo, ninguém sai por ai vendendo tudo, se matando, tendo atitudes próprias de quem irá morrer amanhã, por conta de uma catástrofe mundial. Naquela época também não, mas a Igreja se aproveitou de boatos do tipo, para convencer seus explorados a aderirem à fé cristã, a fim de serem salvos, para tanto vendia indulgências.



Na época do renascimento (renascimento de ideias, conceitos e quebra de paradigmas), Lutero entre outros homens dispostos a evoluir a sociedade, protestou contra o sistema cristão vigente. Nasceu então o “protestantismo” uma vertente cristã disposta a fazer valer o Evangelho, a boa nova e não o sistema capitalista cristão que chamavam-no catolicismo.

Voltemos pois, para a atualidade; hoje temos diversas denominações de igrejas Evangélicas ditas oriundas do protestantismo... Ora, o que há hoje nas igrejas evangélicas em geral, senão venda de indulgências? Não estariam eles se aproveitando do pseudoarrebatamento para “salvar” aqueles que cegamente creem em pseudoapóstolos do cristianismo?

Nos Estados Unidos nasceu na década de 40 do século passado a teologia da prosperidade, esta doutrina se utiliza de passagens como: Gênesis 17.7, Marcos 11.23-24 e Lucas 11.9-10, para embasar sua teoria. No entanto, esta teoria não vem apenas veiculada pelo protestantismo, nos anos setenta deste mesmo século fora introduzida na Senda do Misticismo e em muitas escolas esotéricas sobre outras bases, além das supracitadas, mecanismos de se alcançar a prosperidade material. Sou contra? Depende.

Quando praticada com consciência e sabedoria não, mas quando é embasada em motivos egoísticos, de natureza exploratória ou desacompanhada de uma proposta de evolução interior, sim. Eu poderia citar exemplos de ambos os praticantes em todas as religiões, mas citarei os mais esdrúxulos: Em terreiros de Umbanda e Candomblé, muitos cobram quantias exorbitantes pra executar algo que depende exclusivamente da fé do consulente, cobram fortunas por jogos que são na maioria das vezes direcionados à compra de materiais e execução de oferendas pagas no próprio local. Muitos ao invés de praticar a caridade com a ferramenta da mediunidade, devido ao pouco estudo que têm praticam o animismo e charlatanismo enganando, ludibriando e provocando grandes destruições na vida de muitos incautos, muitas vezes os trabalhadores mesmo das casas são explorados financeiramente. Também há o outro lado, locais sérios de trabalho onde busca-se desenvolver a mediunidade de forma gradual a fim de praticarem a caridade com consultas gratuitas, aconselhamento espiritual e curas, faz-se verdadeiramente a caridade além de prezarem pela cultura original, invocando sempre suas raízes.

Já no Espiritismo (erroneamente chamado de Kardecismo, pois a doutrina não é de Kardec ele apenas a codificou), também existem Centros espíritas que buscam o aprimoramento espiritual pelo desenvolvimento das virtudes e prática do evangelho baseado nas escrituras sagradas, são Centros sérios que praticam a caridade de diversas formas, mantêm creches, orfanatos, asilos, fazem trabalhos excelentes de cura, mas também existem Centros que desviam verbas doadas para seus dirigentes apresentando como prestação de contas instituições fantasmas para receber as doações.


Nas igrejas evangélicas essas diferenças se dão pelas denominações, algumas visam o estudo e o aprimoramento pessoal pela prática das virtudes, são poucas, na verdade são raríssimas mas existem, pois no geral elas buscam induzir os fiéis a doar seus bens para a Igreja afim de “aguardarem no Senhor” e assim passam a vida inteira desejando de forma ambiciosa e egoística, vivendo de forma contrária às escrituras que professam obter algo do alto. 

Na Senda iniciática isso não se dá de forma melhor, a diferença é que a ilusão está em si mesmo e não nas organizações. O candidato ambicioso e egoísta busca entrar nessas organizações com o propósito de controlar a natureza e atrair para si toda a riqueza e poder do universo, pra ele essas instituições serão um grande engodo, eles a abandonarão e partirão para um caminho mais fácil que tenha como promessa apenas uma exigência, “aceitar Jesus”, é a porta mais larga. Claro, afinal é muito mais difícil reconhecer as próprias más tendências, modifica-las e depois de muito estudo e na prática compreender que a verdadeira vida não é essa e que os bens materiais não são mais necessários, do que passivamente “aceitar” Jesus e aguardar o juízo final. Por isso criticam as organizações iniciáticas, pois lá, entram sem saber o que é, procuram não sabem o que, saem sem nada ter encontrado.

Eu espero que de fato possamos todos um dia compreender que estamos aqui de passagem, que essa passagem que dura uma média de 80 anos é quase nada perante o tempo da verdadeira vida, que tudo neste planeta se dá em níveis vibratórios, são coisas mais ou menos palpáveis, visíveis e perceptíveis, que tudo é uma só coisa manifesta em níveis diferenciados, que todos somos um, manifestamos uma só coisa, a vida.


Leonardo Rocha

Desenhe seu Universo


                SOMOS UM UNIVERSO, resolvi começar esta dissertação desta forma. É uma preliminar da definição da raça humana. Digo isso por que somos minuciosos em nosso organismo e alma. Quando nascemos somos arrancados do útero de nossa mãe-terra, somos filhos dela. Como jaz referencias em nossa Ordem e feitas minhas próprias conclusões somos feitos de água, terra, ar e fogo.
            Água, todo nosso corpo é feito de aproximadamente 70% de água. Nossos órgãos, sangue, cérebro é regido de água. Ela se encontra na natureza nos mares, rios, nas nuvens. Etc. O que comprova mais uma vez a nossa ligação com a Terra.
            Terra, o ser humano se alimenta de tudo que é produzido na terra logo nos somos o que comemos. Nosso corpo é matéria na qual se desintegra quando passamos pela transição, a terra da conta de nossos restos e fragmentos mortais.
            Ar, um dos mais importantes elementos de nosso corpo físico. Precisamos do ar, pois sem ele não vivemos. O ar que respiramos vem das plantas, as quais têm ligação direta com a mãe-terra. O ar é fonte de energia, que bombeia nosso sangue fazendo vigorar nosso coração e consciência entrando pelas vias nasais e irrigando nosso cérebro.
            Fogo, nosso corpo etéreo e regido de calor que nada mais é que o sangue em movimento passando por nossas artérias e conseqüentemente gerando calor. O fogo é feito de um elemento terra. A maior forma existente de fogo que podemos observar a olho nu é o sol, que nos traz a luz e o calor próprios para nossa sobrevivência. Os seres humanos não podem viver sem o calor, também próprio de nosso corpo, essa é mais uma evidencia de nossa ligação a mãe-terra.
            Vivemos a caminho de nossa evolução espiritual, pois a senda de nosso destino é pertencente somente a nós mesmos. Prezemos pela paz, tanto de espírito quanto ao próximo. Determine metas de coisas indispensáveis a nossa caminhada na senda da luz. Critique construtivamente e questione tudo, pois o maior mestre Jesus não abaixou a cabeça para os ditadores de idéias da época. Ajudemos nossos irmãos menos evoluídos, para essa preciosa missão lembremos de que sempre fica o perfume nas mãos de quem oferecem rosas.  E como dizia “Raul Seixas: “Tudo acaba onde começou”.


Izabela Cristina da Silva Araújo

O que procuras? '.' .'.