“A MAIOR DE TODAS AS IGNORÂNCIAS É REJEITAR UMA COISA SOBRE A QUAL VOCÊ NADA SABE."

segunda-feira, 14 de março de 2011

"OS 3 ÚLTIMOS DESEJOS DE ALEXANDRE O GRANDE "

Quando à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou
seus 3 últimos desejos:
1 - Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;
2 - Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros
conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...); e
3 - Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do
caixão, à vista de todos.
Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões. Alexandre explicou:
1 - Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;
2 - Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3 - Quero Que Minhas Mãos Balancem Ao Vento Para Que As Pessoas Possam Ver Que De Mãos Vazias Viemos e de Mãos Vazias Partiremos...

Leonardo Rocha '.'

sexta-feira, 4 de março de 2011

Agenda da Felicidade


O sorriso... é o cartão de visita das pessoas saudáveis.
Distribua-o gentilmente.

O diálogo... é a ponte que liga as duas margens, do eu à do tu.
Transmite-o bastante.

O amor... é a melhor música na partitura da vida.
Sem ele, você será um(a) eterno(a) desafinado(a).

A bondade... é a flor mais atraente do jardim de um coração bem cultivado.
Plante estas flores.

A alegria... é o perfume gratificante, fruto do dever cumprido.
Esbanje-o, o mundo precisa dele.

A paz da consciência... é o melhor travesseiro para o sono da
tranqüilidade.
Viva em paz consigo mesmo.

A fé... é a bússola certa para os navios errantes, incertos,
buscando as praias da eternidade.
Utilize-a sempre.

A esperança...é o vento bom enfunando as velas do nosso barco.
Chame-o para dentro do seu cotidiano.

Acreditamos que com essa agenda... a felicidade pode ser a
companheira e aliada para tocar o barco da vida.

Autor Desconhecido

Religiões


"Para mim, as diferentes religiões são lindas flores, provenientes do mesmo jardim. Ou são ramos da mesma árvore majestosa. Portanto, são todas verdadeiras".

A frase que você acabou de ouvir foi dita por uma das mais importantes personalidades do século vinte: o Mahatma Gandhi.

Veja quanta sabedoria nas palavras do homem que liderou a independência da Índia sem jamais recorrer à violência!

Nos tempos atuais, são raros os que realmente têm uma posição como a de Gandhi, que manifestava um profundo respeito pela opção religiosa dos outros.

Muitas pessoas acreditam que sua religião é superior às demais. Acreditam firmemente que somente elas estão salvas, enquanto todos os demais estão condenados.

Pouquíssimas pensam na essência da mensagem que abraçam, já que estão muito preocupadas em converter almas que consideram perdidas.

E, no entanto, Deus é Pai da Humanidade inteira. Todos nós temos a felicidade de trazer, em nossa consciência, o sol da Lei Divina. Ninguém está desamparado.

De onde vem, então, essa atitude preconceituosa, exclusivista, que nos afasta de nossos irmãos?

Vem de nosso pensamento limitado e ainda egoísta. Quase sempre o homem acredita que tem razão.

Imagina que suas opiniões, crenças e opções são as melhores. Você já notou que a maior parte das pessoas acha que tem muito a ensinar aos outros?

É que, em geral, as pessoas quase não se dispõem a ouvir o outro: falam sem parar, dão opiniões sobre tudo, impõem sua opinião.

São almas por vezes muito alegres, expansivas, que adoram brincar. Chamam a atenção pela vivacidade, pelos modos espalhafatosos, pelas risadas contagiantes e pelas conversas em voz alta.

Mas são raras as vezes em que param para escutar o que o outro tem a dizer.

São como crianças um tanto egoístas, para quem o Mundo está centrado em si ou na satisfação de seus interesses.

É uma atitude muito semelhante a que temos quando acreditamos que o outro está errado, simplesmente por ser de uma religião diferente. É que não conseguimos parar de pensar em nossas próprias escolhas.

Não estudamos a religião alheia, não nos informamos sobre o que aquela religião ensina, que benefícios traz, quanta consolação espalha.

Se estivéssemos envolvidos pelo sentimento de amor incondicional pelo próximo, seríamos mais complacentes e mais atentos às necessidades do outro.

E então veríamos que, na maioria dos casos, as pessoas estão muito felizes com sua opção religiosa.

A nossa religião é a melhor? Sim, é a melhor. Mas é a melhor para nós.

É óbvio que gostamos de compartilhar o que nos faz bem. Ofertar aos outros a nossa experiência positiva é uma atitude louvável e natural.

Mas esse gesto de generosidade pode se tornar inconveniente quando exageramos.

Uma coisa é ofertar algo com espírito fraternal, visando o bem. Mas diferente quando desejamos impor aos demais a nossa convicção particular.

Se o outro pensa diferente, respeite-o! Ele tem todo o direito de fazer escolhas. Quem de nós lhe conhece a alma? Ou a bagagem espiritual, moral e intelectual que carrega?

Deus nos deu nosso livre arbítrio e o respeita. Por que não imitá-Lo?

Enquanto não soubermos amar profundamente o próximo, respeitando-lhe as escolhas, não teremos a atitude de amor ensinada por todas as religiões e pelos grandes Mestres da Humanidade.

P'.'P'.'

VERA ROMELLI
SRC '.'

A Lua


Equivocadamente, muitas vezes chamado o Crepúsculo, a imagem forte deste Arcano gera confusões e é merecido que se devolva seu sentido original. Mesmo que, de alguma forma possa ser relacionado com a simbologia contida neste arcano, etimologicamente “crepúsculo”, palavra que origina do latim “creper” (escuro, incerto, duvidoso), não ocorre no momento do nascer ou do pôr do Sol, como é apresentado aqui, porém trata-se de um eclipse do Sol.
Decerto que a Lua que domina o Céu, como ilustrada neste arcano, situa-se diante do Sol, cujo os raios encontramos ao seu reodor. Estamos em plena Luz do dia, momento em que a Terra e o Sol se encontram no mesmo eixo e a Lua situa-se entre ambos, escondendo o Sol, não estamos ante a Aurora ou ao Crepúsculo.

Estando a Lua representada em forma de D, tal como é vista no hemisfério Norte, e com o rosto de perfil olhando para baixo, percebemos que não se trata de um eclipse total do Sol. Este fato mostra que, decerto ainda está na fase crescente, inclusive em seu primeiro quarto. Tratamos de uma curiosa ocultação do Sol, de um eclipse paradoxal e certamente não devemos interpreta-lo ao pé da letra porque, astronomicamente é impossível existir um fenômeno celeste deste tipo. Na realidade, conforme o explicado é impossível ocorrer a ocultação total ou parcial do Sol, a ,menos que o Sol, a Lua e a Terra estejam situados no mesmo eixo. Em hipótese alguma poderia ocorrer este enigma no primeiro quarto da Lua.

A princípio temos aqui um fenômeno extraordinário, irracional e impossível. No entanto é exatamente isso que torna este arcano tão interessante. Esta impossível passagem do primeiro quarto da Lua, diante do Sol, projeta uma sombra sobre a Terra, uma representação que contém a luz e não a da crescente escuridão. Aqui tratamos do reino das sombras como componente da Luz. Tudo o que está oculto em nós e no universo está representado por esta carta que faz alusão a décima ooitava letra-número da cabala, “tsâdé” que significa lado oposto, e também lado ou braço, ainda o braço do Divino.

Assim percebemos que a sombra contida na luz representa o divino em nós, ou todo o aspecto oculto de nossa personalidade.

Em um jogo de cartas este arcano está frequentemente relacionado com nossas dificuldades, problemas, conflitos, decepções e desilusões, cujas causas e origens certamente encontramos em nós mesmos, nossos erros e debilidades. A Lua em um lance de cartas, frequentemente aparece se referindo à vida e as relações familiares, à confusão de idéias e sentimentos, aos pensamentos e à vida íntima, ao apego ao passado, ao psiquismo e ai inconsciente. Uma circunstância difícil, que nos põe à prova, que nos obriga a desfazer do passado e lançar-nos ao desconhecido e buscar nossas fontes interiores.

Na astrologia está associado ao signo de Câncer, ao segundo decanato de Touro e o segundo decanato do signo de Aquário, também a lua em escorpião como a sabedoria oculta dos abismos da alma, e o Sol na oitava casa domo a descida aos infernos. É o labirinto do Rei Minos em Creta, a viajem de Orfeu, de Ulisses, de Hercules, de Psique e de Enéias ao reino de Hades.

Seus significados positivos são: imaginação criativa, dotes ou qualidades psíquicas, doçura receptiva, premonições, intuições, popularidade. Seus significados negativos são: Dificuldade, adversidade, erro, engano, decepção, passividade, sedução, angústia, confusão de sentimentos, dependência afetiva ou material.

No tarô bíblico este arcano é simbolizado por João, o apostolo amado do Mestre que teve uma das experiências m,ais lindas no que se refere ao subconsciente. Na ilha de Patmos ele entrou em estado meditativo e pode ver tudo o que aguarda a humanidade, claro que muitas das coisas fora descrita como símbolos, pois eles desconheciam naquela época a maioria das coisas hoje criadas. Naquela época não haviam armas de fogo, nem aviões, nem celulares entre muitas outras coisas que João não pôde descrever com perfeição por desconhecer totalmente. De qualquer forma este fenômeno está associado ao arcano 18° pela manifestação do subconsciente no consciente. No modo imperativo esta carda diz-nos: Enxerga o que há dentro, conhece-te a ti mesmo.

No entanto seu simbolismo encerra muito mais do que parece a priori, de cada lado há uma torre limitando o espaço, da Lua caem gotas de sangue, as gotas de sangue representam a descida do espírito à matéria. Ali há um cão (espíritos servis) e um lobo (larvas ferozes) e um caranguejo (elementais rastejantes) estão ali atentos a queda da Alma na Matéria, é a materialização adâmica.

No I ching 29 K’an – O Abissal (Àgua)

Leonardo Rocha '.'

quarta-feira, 2 de março de 2011

A Estrela


Lembre-se do Anjo da temperança. Ele, ao mesmo tempo, nos revelou e nos deu ao mesmo tempo o significado da medida que desperta o bom uso das forças, energias, recursos que guardamos dentro de nós, entretanto, com o passar do tempo, as energias vitais e primordiais arredam-se da função inicial e do princípio original. Objetivando exercer uma influência sobre o mundo físico e material, o Diabo tomou posse das energias e utilizou para outras finalidades. Esta tomada de posse e este desvio deram origem a uma queda e a uma submersão, representadas na Casa de Deus, a torre fulminada por um Raio cujo, o símbolo é o de presunção, do orgulho do homem, que acredita poder se elevar sozinho e fisicamente à Deus.

Deparamo-nos neste ponto, diante do pecado em estado puro, ao menos no sentido que normalmente se entende por pecado, ou seja, falta, erro, culpabilidade, transgressão, em outros itens. Cometer pecado, ou melhor, o verbo pecar, certamente deriva de uma raiz latina e do Sânscrito, que originalmente significava “dar um passo em falso” quando pisam,os em falso, obviamente, tropeçamos ou caímos. “Pesha”, a palavra hebraica que significa pecado, tem principalmente o sentido de “passo, marcha, progressão,” assim deduzimos que pecar é progredir. Trata-se de uma escolham uma opção com a qual o homem conta, e cabe a ele a decisão de qual uso fará, a respeito do grande princípio original que esta nele, destas energias que nele circula. Será que as poderá lançar para o exterior e exercer uma influencia sobre o mundo físico e material? Ou para o interior de si mesmo, afim de criar esta “inversão de luzes”, à qual fazemos alusão ao signo de aquário e que será para ele o início de uma libertação e revelação.

Como uma representação simbólica do poder da palavra, da fala e do verbo, é a água que volta à água. Temos aqui a 17° letra-número do código da Cabala, phé, a palavra em hebraico que também está relacionada a este arcano. Pois pode significar tanto a fala como palavra. Este arcano nos revela que as palavras proferidas pela nossa boca exercem grande influência sobre os elementos e os estros. A Palavra é ação, é o resultado imediato de nossas reflexões, pensamentos, idéias e inteligência da nossa mente e mentalidade.

Do mesmo modo que Aquário esvaziou o conteúdo de suas ânforas, no Rio do tempo e da vida, a mulher representada neste arcano verte os seus pensamentos mais íntimos e participa ativamente em tudo o que é.

No jogo de cartas em geral este arcano representa a inspiração criativa, a fé e a esperança, a comunhão e a comunicação.

Seus significados positivos são: Libertação, imaginação, inspiração, criação, revelação, harmonia entre os pensamentos, as idéias e as crenças, as circunstâncias ou acontecimentos da vida, nascimento, Fé, felicidade plenitude.

Os significados negativos são: Tendência para se deixar influenciar, para se deixar levar, ou arrastar pelas idéias, e pensamentos dos outros. Falta de fé, de confiança em si mesmo, abandono.

Seu número é 80, sua letra é “P” (Phê em Hebraico). Esta associado a Mercúrio (pensamentos e idéias) e a Netuno (revelação, inspiração e Fé) também está associado à Júpiter na décima casa no sentido de confiança e visão de longo alcance, e ao signo de Aquário, cuja imagem simbólica é muito semelhante a deste arcano.

No tarô bíblico este arcano é representado pela Arca da Aliança que traz a visão de todo o futuro.


Este arcano tem sua beleza peculiar, particularmente me inspira pela Fé, como místicos temos as ferramentas necessárias à fé, cabe a nós usa-las ou não. Sophia a divina sabedoria, as sacerdotisas do Oráculo de Ísis. Esta carta se opõe a destruição, nos lembra que tudo é eterno e imortal em Deus e nada é sem uma razão de ser, também nos remete a lei de Lavoisier: Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.

No Iching é 61 Chung – Verdade interior

Leonardo Rocha '.'

Paciência

A paciência é uma virtude que poucas pessoas têm.

Na maioria das vezes, não se contentam com as coisas, no momento em que se nos apresentam, pondo-se a maldizer tudo e a todos, exigindo dos outros aquilo que não pratica.

A paciência é, acima de tudo, sabedoria, é esperar o momento certo de fazer ou de dizer as coisas, sem criar nenhum tipo de rejeição.

É a serenidade, diante das dificuldades, impedindo que ações mal pensadas sejam externadas. Não é subserviência, é cautela, é saber esperar a oportunidade exata… é ter a calma necessária…

A paciência é um Dom Divino…
Felizes aqueles que a usam com sabedoria.

A paciência é a certeza do que se quer, se busca, se espera…
Não adianta ficar impaciente, isto só irá aumentar o sofrimento, angústia, a agonia, o desespero… e tudo isso faz com que a pessoa se perca em meio aos seus próprios objetivos.

Não se desespere diante das dificuldades… mantenha-se calmamente, ainda que grande seja a dor e o sofrimento interminável. Espere. Espere.

Não tenha pressa… nada acontece por acaso…
Tudo tem seu tempo certo.

De nada adianta apavorar-se, desatinar-se…
Isto fará com que você tome uma decisão que talvez, mais tarde, poderá lhe custar muito.

Não queira resolver tudo ao mesmo tempo… dedique-se um pouco a organizar as coisas à sua volta… isto facilitará a sua vida e a dos outros e tornará melhor o seu dia a dia, o convívio com os outros, onde quer que você esteja.

É devagar que se vai ao longe…
Toda grande caminhada começa com o primeiro passo.

TENHA PACIÊNCIA, MUITA PACIÊNCIA…

Autor Desconhecido

Pode o evangélico ser maçom?


Quando eu ainda era jovem, estudei em um colégio religioso; e por sinal um excelente educandário. Lá, dentre as muitas orientações que repassavam para os alunos, uma delas era que o evangélico (protestante) não pertencia a Deus, e sim, ao Diabo.

Passados alguns anos, conhecendo melhor o evangelismo, conclui que o evangélico fiel e obediente também pertence a Deus tanto quanto aqueles religiosos. Haja vista, que tive o privilégio de me tornar um evangélico.

Hoje, ouve-se dizer que certas religiões não aprovam os princípios maçônicos e alegam, inclusive, que a Maçonaria é de origem satânica, e que os maçons pertencem ao Demônio.

Infelizmente muitos evangélicos fazem coro com aquelas outras religiões, pregando a mesma coisa, isto é, que a maçonaria é diabólica e que os maçons são de Satã. Certo escritor protestante até já chegou a dizer que o evangélico maçom é um falso crente.

Outros evangélicos vão mais longe. Dizem eles que a Maçonaria promove a idolatria, afirmando que "ela admite um tal de ''São João da Escócia" ou "São João de Jerusalém" como padroeiro, e abre os seus trabalhos em seu nome."

Realmente a Maçonaria abre seus trabalhos em nome de São João, como padroeiro. Mas os críticos se esquecem de que padroeiro, segundo Aurélio, é o mesmo que patrono. E patrono é aquele que serve de exemplo, que éespelho, modelo ou paradigma. 0 Exército Brasileiro tem o seu patrono, o Duque de Caxias, e nunca se viu nenhum evangélico deixar de seguir a carreira militar por ter o Caxias como patrono. Tem mais, em toda solenidade de formatura, sobretudo, de curso superior, existe alguém como patrono; e jamais soube-se que um evangélico se omitisse em participar daquele ato porque láestivesse a figura de patrono.

Há evangélico anunciando por aí que a Maçonaria é religiosamente sincretista. Não é verdade. Para se ingressar na Maçonaria o candidato necessita, sim, professar uma religião. Com isso o maçom pode e dever pertencer a um segmento religioso. E isso não demonstra sincretismo religioso. Pelo contrário, vem provar que a Maçonaria não é religião mas aceita nos seus quadros a convivência de todos os credos religiosos.

Porém não é somente na Maçonaria que os integrantes de vários credos religiosos se inter-relacionam. Não. Nas repartições públicas ou privadas, nos bancos ou em quaisquer outros órgãos, vamos encontrar funcionários dessas instituições professando as mais diversas crenças. E no entanto, ninguém é discriminado ou escandalizado pelo seu princípio de fé ou crença. Geralmente todos trabalham na mais perfeita harmonia e ordem, relacionando-se muito bem entre si.

A Maçonaria é também censurada por determinados evangélicos quanto aos, segredos maçônicos. Esses crentes dizem que na Igreja Evangélica nada há em oculto, tudo é feito à vista de todos, e as suas reuniões privativas nada têm de secretismo."

Todavia a Bíblia não diz assim e a prática não confirma tal afirmação. As Sagradas Escrituras, em Mateus - 8:4, registram: "Disse então Jesus ao leproso que havia curado: Olha, não digas a ninguém, mas vai e mostra-te ao sacerdote ...". Ainda em Apocalipse -10:4 está escrito.. "Guarda em segredo as cousas que os sete trovões falaram, e não as escreve". Há também assuntos tratados no seio das igrejas que não são levados ao conhecimento público da congregação; sobretudo nas chamadas reuniões privativas, as quais, entende-se, são a mesma coisa que secretas.

Portanto as referências ora mencionadas são exemplos de segredo ou sigilo. As primeiras os evangélicos devem conhecer, pois são bíblicas. E as outras, especialmente os líderes, com certeza as praticam em suas reuniões administrativas particulares e privativas.

A maçonaria também é criticada por alguns protestantes pela adoção dos símbolos.

Na realidade existem muitos símbolos maçônicos. Todavia, todos eles têm os seus significados específicos, como a Estrela Radiante, que é o emblema da Divindade; e tantos outros, os quais vão sendo conhecidos de acordo com os graus atingidos pelo maçom.

Por outro lado, no mundo profano também encontram-se vários símbolos, dentre eles, a Bandeira Nacional que é o símbolo da Pátria; a balança no direito, simbolizando a Justiça; e muitos outros.

A Bíblia, por sua vez, mostra também, muitos e muitos símbolos, tais como o arco-íris, símbolo que representa uma aliança entre Deus e os homens, e ainda a beleza, respectivamente (Gênesis - 9:13 e Apocalipse - 4:3), o cavalo, símbolo da força (Apocalipse - 6); o dragão, simbolizando Satanás (Apocalipse - 13). Há inúmeros outros símbolos contidos no Livro Sagrado.

Existem evangélicos afirmando que a Maçonaria é uma Instituição Pagã. Aí há mais um erro por eles cometido. Pois os trabalhos em uma loja maçônica são abertos invocando o auxílio do Supremo Arquiteto do Universo, que é o próprio Deus. E esse Supremo Arquiteto é relatado em Hebreus - 11:3 e 10, e Jeremias - 10:12. Pois em toda abertura dos trabalhos lê-se um texto no Livro da Lei (Bíblia), de conformidade com o grau em que estão sendo realizados os trabalhos.

E tem mais, pode-se afirmar que existe dentro da Maçonaria um respeito muito grande entre os irmãos quanto aos seus princípios ideológicos, culturais e acima de tudo religiosos.

Finalizando, quero testemunhar que há mais de quarenta anos sou evangélico, e tenho plena convicção que, graças a Deus, não sou do Diabo, como antes ouvia afirmar. Outrossim, há aproximadamente quinze anos sou maçom, e me sinto também confiante de que não pertenço a Satanás como muitos afirmam por aí, mas a Deus, o Supremo Arquiteto do Universo.

Portanto, irmãos, o evangélico pode e deve ser um maçom, acima de tudo justo, verdadeiro e eficiente.
NILSON RIBEIRO LEITE .'.

10 motivos para não ser um martinista

1)Você está preparado e o "mestre" ainda não apareceu diante de seus olhos para lhe revelar todos os segredos do Universo? Então o Martinismo não é a sua melhor escolha. Em nossa fraternidade não há "gurus" nem lideres infalíveis, não defendemos nenhum dogma religioso. Para o Martinista o Mestre está dentro de si mesmo, pois somos todos filhos de um mesmo Pai

2)Você está convencido que todos os seus esforços pessoais, toda a dedicação a Fraternidade, deve ser minimamente recompensada com regalias, medalhas e títulos pomposos? Então o Martinismo não é a sua melhor escolha! Em Nossa fraternidade depois de décadas de estudo, práticas, erros e acertos você irá aprender a ser um Incógnito, apenas mais um na multidão, sem reconhecimento, sem distinção e sem nenhum engrandecimento social.


3)Você acredita que para uma fraternidade ser poderosa é necessário ter membros e afiliados poderosos? É necessário reunir várias Lojas? Ter poder político para atuar com força na sociedade? Então o Martinismo não é a sua melhor opção! Nossa Fraternidade é apolítica, nossas Ordens e nossos grupos não agregam um numero considerável de afiliados ou membros, não temos objetivos mundanos nem elegemos vereadores, deputados ou senadores. Dinheiro não garante evolução espiritual.

4)Você está preparado para ser caluniado, ridicularizado e humilhado publicamente? Cada passo que você der na direção da Verdade e do conhecimento, mais inimigos você irá atrair. A Natureza humana não está suficientemente educada para entender que: "quando um individuo se eleva a sociedade humana como um todo se eleva concomitantemente" então o trabalho individual representa na verdade uma labuta coletiva. A cada ser humano que você tiver o privilégio de tirar das trevas da ignorância, mais Luz é trazida sobre nossa natureza mundana. Para muitos a Luz e o conhecimento significam independência e esta independência é intolerável para os que acreditam serem superiores aos demais.

5)Você tem firme convicção que uma fraternidade ou uma Ordem pode transformar a sua vida e a vida de seus familiares em uma fonte inesgotável de prazer, satisfação e dádivas divinas? O Martinismo continua sendo uma opção a ser desconsiderada. Quem tem o poder de transformar a sua vida e a vida de seus familiares é você mesmo, ou melhor, são os seus atos e seus exemplos. De nada adiantaria uma fraternidade lhe oferecer conhecimentos, práticas e equilíbrio espiritual se você não colocasse tudo isto em prática. Portanto o Martinismo exigirá de você mais que estudo e dedicação, exigirá que você pratique o que aprendeu.

6)Você sente que se afiliando em uma Fraternidade secreta, você estará automaticamente abonado dos deveres de sua religião? Não se engane, o Martinismo não abona de seus membros nenhum dever e nenhuma obrigação, nem mesmo as de cunho religioso. O Martinista é incentivado a continuar praticando a sua religião, seja ela qual for. A pratica religiosa é fundamental para que o tão desejado equilíbrio seja alcançado.


7)Você espera que no final de anos de estudo, e ao atingir os mais altos graus, você terá o direito de usar um titulo espalhafatoso e incompreensível aos "profanos"? Saiba que o mais alto grau da Fraternidade Martinista é composto de duas letras e 6 pontos, nada mais que isto! E ainda mais desalentador, o Martinismo é inesgotável e mesmo após décadas de dedicação sempre haverá o que aprender.

8)Você espera estar preparado para aceitar a miséria material e espiritual da humanidade como um carma individual? Então não se submeta as regras Martinistas. Se uma criança ou um adulto lhe pedir dinheiro no farol da esquina, como Martinista você terá a obrigação moral e espiritual de atender ao pedido de esmola. Nós não sabemos se aquela moeda ou se aquela esmola irá contribuir para aliviar a dor de um estomago faminto ou evitar que uma criança seja conduzida a imoralidade por falta de opção. A decisão do que fazer com aquele dinheiro não é de quem o ofertou, mas de quem o recebeu. A Benemerência é uma obrigação insubstituível do Martinista.

9)Você tem desejos de um dia ser um "mestre" e ser constantemente rodeado e bajulado pelos seus discípulos? Definitivamente o Martinismo não deve ser a sua opção! Já dizia nossos antecessores " Pobre daquele que se julga mestre e tem sobre si a responsabilidade espiritual dos atos os atos de todos aqueles considerados discipulos" O verdadeiro Mestre, como já afirmamos, está dentro de cada um de nós, e a responsabilidade dos Iniciadores é manter a cadeia ininterrupta desde o Filósofo Desconhecido. Também os lideres devem ter humildade e equilíbrio, caso contrário estão sendo perjuros consigo mesmo e para com o Grande Arquiteto do Universo.

10)Você classifica as promessas e os juramentos mais ou menos sérios de acordo com o momento, a ocasião e a sobriedade do momento que o fez? Então você não será um bom Martinista. O juiz mais austero e mais exigente deve ser a nossa própria consciência, se você não é capaz de cumprir um juramento feito a você mesmo, como espera cumprir os juramentos feitos em solo consagrado pelos nossos antecessores? Faça um auto teste simples, um juramento a si mesmo, um juramento que nosso Amado Mestre Philippe de Lion cobrava de todos os seus atendidos: "não fale mal de ninguém nos próximos 10 dias" se você cumprir esta promessa, saberá que pode assumir juramentos mais sérios.

Se depois de ler e entender os 10 motivos acima, você ainda sente um desejo incontrolável de juntar a sua luz a nossa Luz, ótimo, você pode continuar a sua busca, encontrar o seu caminho pois temos certeza que a senda cardíaca está irremediavelmente contida em sua Alma.


Carta de Abraham Lincon ao professor de seu filho

Caro professor,

Ele terá de aprender que nem todos os homens são justos, nem todos são verdadeiros, mas, por favor, diga-lhe que, para cada vilão, há um herói, que para cada egoísta, há também um líder dedicado; ensine-lhe, por favor, que para cada inimigo haverá também um amigo, ensine-lhe que mais vale uma moeda ganha que uma moeda encontrada, ensine-o a perder mas também a saber gozar da vitória, afaste-o da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso, faça-o maravilhar-se com os livros, mas deixe-o também perder-se com os pássaros do céu, as flores do campo, os montes e os vales.

Nas brincadeiras com os amigos, explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa, ensine-o a acreditar em si, mesmo se sozinho contra todos. Ensine-o a ser gentil com os gentis e duro com os duros, ensine-o a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram.

Ensine-o a ouvir a todos, mas, na hora da verdade, a decidir sozinho, ensine-o a rir quando estiver triste e explique-lhe que por vezes os homens também choram.

Ensine-o a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos, se ele achar que tem razão.

Trate-o bem, mas não o mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço, deixe-o ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajoso.

Transmita-lhe uma fé sublime no Criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos homens.

Eu sei que estou pedindo muito, mas veja o que pode fazer, caro professor.

Abraham Lincoln, 1830

O que procuras? '.' .'.