“A MAIOR DE TODAS AS IGNORÂNCIAS É REJEITAR UMA COISA SOBRE A QUAL VOCÊ NADA SABE."

sábado, 15 de janeiro de 2011

O Carro




O namorado já optou, tomou uma orientação e decidiu ir em frente apesar dos obstáculos que poderá encontrar no caminho. O Carro poderá demonstrar seu valor e a força de seu caráter, servindo-se de meios para alcançar seu objetivo. É um carro que triunfa e a vitória o espera.

O Carro representa a força e a conquista. Ao conduzir com firmeza as esfinges, o príncipe demonstra firmeza e poder sobre os caminhos.

Muito se tem a falar dessa carta, tanto por seu significado filosófico e interpretativo quanto pelo número que ela representa. O 7 é o misterioso número místico, o número perfeito e da perfeição.

Este arcano simboliza a vitória, a direção, o controle, a confiança, a força e a honestidade, que são impulsionadores do progresso contínuo. Representa também o auto controle, a confiança e retidão nos nossos atos. Com o carro há progresso há projetos em andamento. No plano espiritual, este arcano representa o momento em que o viajante passou pela encruzilhada, tomou um rumo firme e está disposto a cumprir mais etapas evolutivas.


É claro que a interpretação de qualquer carta depende muito de que tipo de lance estar-se fazendo, que cartas estão ao seu redor e em que lugar estão. O que ora cito a respeito desta carta é tão somente seu aspecto isolado e ainda assim em linhas gerais, o mais correto a meu ver é estudar, absorver a energia de cada arcano, vários tipos de lance, daí então em um jogo deixar fluir a intuição, deixar aflorar tudo o que no subconsciente está, sem racionalizar.


A situação anunciada pelo Carro está em desenvolvimento, na qual é conveniente avançar, demonstrar vontade, determinação, valor, com a certeza de alcançar um propósito. Dessa forma, o surgimento deste arcano, incentiva o indivíduo a ir até o fim em suas escolhas, decisões e objetivos. Para obter meios de chegar ao êxito ou à vitória, faz um apelo à sua capacidade, e a todos os recursos de seu espírito. De outro modo, às vezes, o Carro pode indicar movimento que pode ser definido como uma mudança, uma deslocação, uma viagem ou ainda a chegada de uma notícia iminente. Sobre o carro de forma cúbica, encimado por um dossel de azul estrelado suportado por quatro colunas simbolizando os 4 elementos (princípios), adianta-se um triunfador coroado com um círculo sobre o qual erguem-se e irradiam três pentagramas de ouro. Este símbolo reproduz, em uma outra ordem de idéias, o arcano 1 e o arcano 21. As quatro colunas representam os quatro animais do arcano 21 e os quatro símbolos do arcano 1 símbolo do quaternário em todas as suas acepções. O triunfador, que ocupa o centro dos quatro elementos é o Homem que venceu e que dirige as forças elementares; esta vitória é ainda afirmada pela forma cúbica do carro, e os pentagramas que coroam o iniciado.


O triunfador tem, sobre sua couraça, três esquadros superpostos. Tem sobre os ombros o Urim e o Tumim da soberania sacrificial, representados pelos dois crescentes da Lua à direita e à esquerda, e segura na mão um cetro encimado por um globo, um quadrado e um triângulo. Sobre a face quadrada que forma a parte da frente do carro, vemos a língua hindu encimado pelo Sol alado. As duas esfinges correspondem aos dois princípios ativo e passivo. O triunfador corresponde, sobretudo, ao naipe de espadas e ao vô do nome sagrado.


O Carro simboliza a dualidade do signo de gêmeos também nas duas esfinges, uma refletindo o lado positivo e a outra o lado negativo de uma mesma energia, que está em equilíbrio pelo condutor que empunha um “zain” que exprime hieroglificamente uma flexa. O “Zain” exprime a vitória em todos os mundos.

Os verbos do carro são: Querer, progredir, evoluir, perseverar, triunfar.

Seus significados positivos são: Vontade, força, esforço, perseverança, êxito, fortuna, vitória, coragem, determinação, popularidade, boa notícia, mudança, progresso, viagem.

Seus significados negativos são: Incerteza, pusilanimidade, vaidade, fracasso, falta de vontade, desânimo e dispersão.

Na astrologia está relacionado ao Sol e à Gêmeos cujo o regente é Mercúrio.

Na Cabala é Netzah (Eternidade / Vitória) Está associado ao número 7 e a letra “Z”.


Tratado a interpretação da carta vamos ao sentido mitológico, o Carro aqui está representando o trajeto do Sol no céu, é então um símbolo solar. É o atributo do deus grego do Sol, Apolo irmão de Ártemis, deusa da Lua.

Deus da inspiração das artes da adivinhação e principalmente da música e da poesia, seu número é o 7, que traduz o número das 7 notas da escala musical e é, sobretudo, o número da perfeição que une o céu e a terra. (Falaremos melhor sobre isso mais adiante) Também o 7 é o número do carro, Em sua viagem através do céu, o carro de Apolo descreve o teto do mundo que percorre a “estrutura sobre o qual” sustenta a esfera celeste. Cabe aqui mencionar que o termo “estrutura”, em francês se traduz em “charpent”, termo derivado do latim: “Carpentum”, o qual se referia a um determinado carro de duas rodas. Neste mesmo aspecto também o termo português “carpinteiro” deriva daquele termo latino, em que é possível relembrar que, José de Arimatéia, o pai de Jesus, era carpinteiro, e Jesus, frequentemente relacionado ao mito de Apolo, também teve esse ofício.


Na Maçonaria o número 7 está relacionado às qualidades fundamentais: Limites, ultrapassar limites, controle e as qualidades subsequentes: Alcance, regra, lei, inatividade, bloqueio.

No tarô egípcio está relacionado à Hórus que é o grande vitorioso. Aqui interpreta-se que a União entre o intelecto e a intuição será estabelecida, justiça será feita, desonras reparadas e honras recebidas, conquista do que é perseguido com empenho. O número 7 representa o poder mágico em toda sua força; é o espírito auxiliado por todas as potências elementares, é a alma servida pela natureza, é o santum regnum, de que se fala nas clavículas de Salomão.

No tarô bíblico representa José o pai de Jesus que soube conduzir seus passos desde o princípio de sua vida.



Do numero 7

Conceitos e valores:
No alfabeto hebraico, o sete corresponde à letra "zain" = Imaculado
No Mundo Angélico, 7 é Eloim = enviado de Deus.
No Mundo Astrológico, 7 é Mikhael, a inteligência soberana do 9º céu, que é a Lua.
No Mundo Elemental, o 7 é o Reino mineral.
Os nomes divinos:
O 7º nome divino é IEVE TSEBAOTH, que significa "O DEUS DOS EXÉRCITOS" ou, antes, Deus das Ordens Cósmicas; a Lei Divina que rege os mundos.
Na Cabalah, a 7ª sephirah é NETSACH = Vitória sobre a Morte. O 7º caminho é a Inteligência oculta; ela envolve, com esplendor, todas as virtudes intelectuais.
Última curiosidade sobre o número 7:
Muitos séculos depois da morte de Pitágoras, em escavações procedidas no antigo local de sua Academia, foi encontrada uma placa de ouro, com um número gravado. Esse número, que ficou conhecido como o "Número Áureo de Pitágoras" era 1 4 2 8 5 7
Não se sabia o que significava, mas descobriram-se várias coisas interessantes a respeito desse número:
- multiplicado por 2, é como se se pegassem os dois primeiros algarismos e passassem para o fim: 2 8 5 7 1 4
- multiplicado por 3, é como se se pegasse o primeiro algarismo e passassem para o fim:
4 2 8 5 7 1
- multiplicado por 4, é como se de pegassem os dois últimos algarismos e passassem para a frente: 5 7 1 4 2 8
- multiplicado por 5, é como se se pegasse o último algarismo e passassem para a frente:
7 1 4 2 8 5
- multiplicado por 6, é como se se mudass o equilíbrio: trocasse os três primeiros algarismos pelos três últimos: 8 5 7 1 4 2
- multiplicado por 7, é como se tivesse havido um desarranjo na máquina: 9 9 9 9 9 9
Com este último resultado, tiveram uma idéia: como 999999 arredondado é 1, dividiram 1 por 7. O resultado foi:
0,142857142857142857..... ou seja: uma dízima periódica, cujo período é 1 4 2 8 5 7
Concluíram os místicos: o Número Áureo representa as Energias Divinas (1) distribuídas (divididas) pelos seus sete Regentes planetários.
Outra explicação:
Em escavações mais recentes, no local onde situava-se o Templo de Salomão, foi encontrado um medalhão de ouro com a figura a conhecida por "Estrela de Davi" e que é considerada o símbolo do Judaísmo e do Estado de Israel. Em cada vértice dessa estrela de seis pontas, havia uma letra do alfabeto hebraico: eram as letras ALEF, BET, DALET, HÉ, ZAIN e HET. Os pesquisadores procuraram ler o que seria uma palavra :ou um grupo de palavras; tentaram ler em todos os sentidos e não conseguiram nada. De repente, um dos pesquisadores lembrou que as letras hebraicas são, também, números: os números 1, 2, 4, 5, 7 e 8. E estavam arrumados, na figura, da seguinte maneira: o algarismo 1, no vértice superior ; o 8, no vértice inferior; nos vértices da esquerda, os algarismos 4 e 2; nos vértices da direita, os algarismos 7 e 5.
Como a escrita hebraica é lida da direita para a esquerda e, no caso da figura, no sentido anti-horário, os algarismos formavam o número 1 4 2 8 5 7
Verificaram, então, que os múltiplos surgiam da seguinte maneira interessante:
- Qual o segundo número, em ordem crescente? - o 2.
Lendo, a partir do 2, sempre no sentido anti-horário, o resultado é o da multiplicação por 2:
2 8 5 7 1 4.
- Qual o terceiro número, em ordem crescente? - o 4.
Lendo, a partir do 4, no sentido anti-horário, tem-se o resultado da multiplicação por 3: 4 2 8 5 7 1.
E, assim, sucessivamente: quarto número: 5.
1 4 2 8 5 7 X 4 = 5 7 1 4 2 8
Quinto número: 7.
1 4 2 8 5 7 X 5 = 7 1 4 2 8 5
Sexto número: 8.
1 4 2 8 5 7 X 6 = 8 5 7 1 4 2

O número 7 é com certeza é o mais presente em toda a filosofia e literatura sagrada desde tempos imemoriais, até os nossos dias.


O número 7 é sagrado,perfeito e poderoso;afirmou Pitágoras, matemático e Pai da numerologia,sendo,juntamente com todos os ímpares considerado mágico.Pitágoras,foi discípulo de todos os Grandes Mestres do Egito, da Índia, da Grécia, da Fenícia,Caldéia e fundador em Crotona da Escola Itálica. A base de sua doutrina é "a Unidade Divina, absoluta , na qual ele vê a mônada( Unidade simples, indecomponível) das mônadas; a imortalidade da alma a pluralidade das existências num sentido de evolução; a organização harmoniosa do universo baseada na série dos números, à qual ele atribuía maior poder".

Os números são expressões de diferentes processos primordiais, por isso tem significados distintos, eles representam símbolos que se expressam no mundo material e são utilizados para que compreendamos, o que está encoberto pelo"mundo das aparências".

A soma de 3 + 4 = 7 está presente em várias religiões.O 3, representado por um triângulo(a Santíssima Trindade,por exemplo),é o Espírito; o 4, representado por um quadrado(a representação dos elementos do mundo físico:terra, água, ar e fogo),é a Matéria. O 7, é o Espírito na Terra, sustentado pelos quatro Elementos, ou a Matéria "vivificada pelo Espírito". É o espírito encarnado.

O 7 é um número místico por excelência,indica o processo de passagem do conhecido ao desconhecido; ele detém uma clara relevância,não apenas entre nós místicos, porém, também em todas as religiões, das mais antigas às mais modernas.



VEJAMOS ALGUMAS CURIOSIDADES RELACIONADAS AO NÚMERO SETE:


7 são as virtudes: Fé, Esperança, Caridade, Prudência, Justiça, Fortaleza e Temperança.

7 são os pecados capitais: Soberba, Ira, Inveja, Luxúria, Gula, Avareza e Preguiça.

7 são os sacramentos da Igreja Católica: Batismo, Confirmação, Eucaristia, Penitência, Ordem, Matrimônio e Extrema União.

7 são as Obras de Misericórdia:Dar de comer a quem tem fome, Dar de beber a quem tem sede, Vestir os nus, Dar Pousada aos Peregrinos, Visitar os enfermos e encarcerados, Remir os cativos e Enterrar os mortos

7 são os braços do candelabro Judeu, indicando os 7 dias da criação.

7 são as notas musicais com 7 escalas , 7 pausas e 7 valores.

São 7 as cores do Arco- Íris.

7 foram as pragas do Egito.

São 7 os Arcanjos:Miguel, Jofiel, Samuel, Gabriel, Rafael, Uriel e Ezequiel,

7 são as Arcanjelinas:Fé, Constância, Caridade, Esperança, Mãe Maria, Dona Graça e Santa Ametista.

O Pai Nosso e a Ave Maria são orações compostas cada uma delas, de 7 orações (frases).

7 são as Leis Universais:Natureza, Harmonia, Correspondência, Evolução, Polaridade, Manifestação e Amor.

7 são os dons do Espírito Santo:Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade, Temor a Deus.

São 7 as glândulas endócrinas:Hipófise, Tireóide, Paratireoides, Supra-renais, Sexuais, Timo e Pâncreas.

São 7 os nossos chacras :Básico, Esplênico, Umbilical, Cardíaco, Laríngeo, Frontal e Coronário.

7 são os grandes mensageiros:Krisna, Buda, Lao-Tse, Confúcio, Zoroastro, Moisés e Jesus.

No sonho do Faraó Egípcio (Bíblia) tinha 7 vacas gordas, 7 vacas magras, 7 espigas cheias, 7 espigas definhadas . José decifrou o sonho como = 7 anos de fartura e 7 anos de seca.

7 são as personalidades de Deus ( segundo Zoroastro ) :Luz Eterna, Onisciência, Retidão, Poder, Piedade, Benevolência e Vida Eterna.

7 meios tem o homem para se tornar puro ( segundo o Budismo) :Domínio de si mesmo, Investigar a verdade, Energia, Alegria, Serenidade, Concentração e Magnanimidade.

7 são as virtudes:Humildade, Liberdade, Castidade, Paciência, Abstinência, Caridade e Diligência.

7 são as igrejas iniciais do Cristianismo:Éfeso, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Esmirna, Filadélfia e Laodicéia.

7 são as Obras de Misericórdia Espiritual:Dar um Bom Conselho, Instruir os Menos Esclarecidos, Corrigir os que Erram, Consolar os Aflitos, Perdoar as Injúrias, Suportar Pacientemente as Fraquezas do Próximo e Rezar pelos vivos e Falecidos.

A Lua tem 4 fases de 7 dias cada.

No Apocalipse de São João encontramos: 7 Estrelas, 7 Igrejas, 7 Cornos, 7 Selos, 7 Candelabros, 7 Anjos, 7 Trombetas, 7 Coroas, 7 Trovões e 7 Taças.

70 x 7 é a conta do perdão.

7 cores do espectro;
7 notas musicais;
7 mares;
7 maiores continentes;
7 dias da semana;
7 níveis de complexidade;
7 maravilhas do mundo;
7o. dia de descanso.

SETE REINOS

Os antigos cabalistas revelaram que o nosso mundo físico de três dimensões mais a quarta dimensão do espaço e tempo representam apenas uma porção insuficiente da realidade.
Existe muito mais além da limitada percepção humana.

Existem, dez dimensões que formam a realidade.
As três dimensões mais elevadas, chamadas Três Superiores, existem fora da nossa realidade física.
As Sete Inferiores, entretanto, se manifestam diretamente e interagem com o nosso ambiente.

As Sete Inferiores estão relacionadas com 7 planetas de influência astrológica. Como pensava a maioria dos antigos astrólogos os 7 planetas afetavam o nosso reino de experiências, os cabalistas também compreenderam que existiam outros 3 planetas: Netuno,Urano e Plutão mas que eles não tinham efeito direto sobre o nosso mundo.
TECIDO DA REALIDADE

O cabalista do século 13 Rabino Abraham Abulafia disse que estes 7 níveis estão imbuídos na criação. Ele os identificou como:

· FORMA = ENERGIA
· MATÉRIA = PARTÍCULAS SUBATÔMICAS
· COMBINAÇÃO = ÁTOMOS
· MINERAIS = MOLÉCULAS
· VEGETAIS = PLANTAS
· ANIMAL = ANIMAIS
· HOMEM = HOMEM

De acordo com Abrahão o Patriarca, existem 7 portais para a alma. Os olhos podem ser as janelas da alma, mas há 7 portais no total: 2 olhos,2 ouvidos, 2 fossas nasais e a boca.
Abrahão revelou este conhecimento


UM POUCO DO 7 NA BÍBLIA

Há pessoas ensinando que basta “guardar um dia em sete”, ou “qualquer dia pode ser o sétimo”, ou ainda, “não precisa guardar dia nenhum”; atitude semelhante assumiu Lúcifer, tentando subestimar a ordem divina, questionando a Lei de Deus, querendo implantar sua própria vontade, levando anjos, com seu ensino, a também se perderem.

Muitos hoje estão percorrendo o mesmo caminho de desobediência, contornando a vontade de Deus, no intuito de fazer prevalecer sua própria vontade.
Deus ordenou ao homem trabalhar seis dias e descansar no sétimo (Sábado). O homem, porém, está descansando no primeiro dia (domingo) , antes de trabalhar os seis. – Tudo trocado.
É justo isso? Será que Deus se conformará com tal atitude? Cuidado!
Deus não disse: Lembra-te de um Sábado, nem de um dia de Sábado. Ele definiu-o para você (Êxo. 20:8-11).
“O Sábado tem a sua origem na criação. Gênesis 2: 1-3.” – Pastor Carlo Johansson (teólogo Assembleano), Síntesi Bíblica do Velho Testamento, pág. 48.
“O Grande Arquiteto do Universo completou em seis dias Sua obra da criação, e descansou no sétimo dia... No sétimo dia Ele descansou, dando ao homem o exemplo, trabalhando em seis dias e descansando no sétimo.” – Pastor Myer Pearlman (teólogo Assembleano), Através da Bíblia, págs. 14,15.
Dizem que sete é conta de mentiroso. A Bíblia, porém, contradiz frontalmente esse conceito. O sete é predominante nela. No Novo Testamento, por exemplo, há estas referências:
Jesus disse que quando Satanás sai do coração do homem, e os frutos do Espírito não o povoa, ele volta e traz sete espíritos piores. Mat. 12:45.
Sete foram os pãezinhos que Jesus multiplicou para dar comida à uma multidão, e ainda sobraram sete cestos cheios (Mat. 15:34-37). Pedro desejava saber o limite do perdão. Sete vezes? perguntou a Jesus! Não até sete, mas até setenta vezes sete, respondeu Jesus. Mat. 18:21 e 22.
Os saduceus, em abono de sua crença herética, perguntaram a Jesus de qual seria a mulher dos sete irmãos que a desposaram (Mat. 22:24-28). Quando Jesus ressuscitou, a primeira pessoa a vê-Lo foi Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios. Mar. 16:9.
Sete anos também foram os dias de felicidade que tivera ao lado de seu esposo a profetisa Ana (Luc. 2:36). Jesus ensinou que se o nosso irmão pecar contra nós sete vezes em um dia, sete vezes devemos perdoá-lo. Luc. 17:4.
Sete homens foram escolhidos para serem diáconos e ajudar na Igreja Apostólica (Atos 6:3). Sete nações foram destruídas por Israel até que se estabeleceu definitivamente na Terra Prometida (Atos 13:19). Sete foram os filhos de Ceva, judeu principal dos sacerdotes, que tentavam imitar a Paulo, em suas maravilhas e milagres (Atos 19:14). Sete dias ficou Paulo em Tiro, quando o navio em que viajava parou para ser descarregado. Atos 21:4.
Filipe era um dos sete diáconos (Atos 21:8). Sete dias era o prazo para a purificação do templo (Atos 21:27). Sete dias ficou Paulo com os irmãos da Igreja de Potéoli (Atos 28:13 e 14). Sete mil foram os fiéis que não dobraram seus joelhos diante de Baal (Rom. 11:4). Sete dias foi o prazo em que o povo de Deus rodeou os muros de Jericó até derrubá-lo (Heb. 11:30). Sete pessoas foram as únicas que se salvaram juntamente com Noé, das águas do dilúvio. II Ped. 2:5.
Sete são as igrejas da Ásia que João relata em sua visão; sete são os espíritos que estão diante do trono de Deus (Apoc. 1:4). Sete castiçais de ouro João viu em sua visão (Apoc. 1:12 e 13). Sete estrelas viu João na destra de Jesus (Apoc. 1:16). João disse que as sete estrelas são os sete anjos das sete Igrejas, e os sete castiçais, são as sete igrejas (Apoc. 1:20). “Eu sei as tuas obras”, disse aquEle que tinha em Sua destra as sete estrelas (Apoc. 2:1 e 2). Os sete espíritos diante do trono de Deus são comparados por João a sete lâmpadas, ou sete tochas. Apoc. 4:5.
João viu na mão de Deus um livro selado com sete selos. Somente Jesus podia abrir aqueles sete selos (Apoc. 5:1 e 5). Jesus é simbolizado por um Cordeiro com sete pontas e sete olhos, que são os sete espíritos (Apoc. 5:6). “O Cordeiro abriu um dos sete selos” (Apoc. 6:1). Na abertura do selo número sete, houve “silêncio no Céu por quase meia hora” e João viu diante de Deus sete anjos e foram-lhe dadas sete trombetas (Apoc. 8:1-2). Então os sete anjos com as sete trombetas se prepararam para tocar (Apoc. 8:6). “Os sete trovões fizeram soar suas vozes” quando um anjo veio do Céu com um livrinho na mão, colocando seu pé sobre a terra e outro no mar. Apoc. 10:3.
Sete mil homens morreriam através de um terremoto, segundo a profecia de Apocalipse 11:13. João viu no Céu um dragão com sete cabeças e sete diademas (Apoc. 12:3). Depois viu subir do mar uma besta que tinha sete cabeças (Apoc. 13:1). Divisou também um grande sinal no Céu: sete anjos com as sete últimas pragas (Apoc. 15:1)(15+1 = 16 = 1+6 = 7). Posteriormente “um dos quatro animais deu aos sete anjos salvas de ouro, cheias da ira de Deus” (Apoc. 15:7). Após o que ordenou aos sete anjos, derramar sobre a Terra as sete salvas da ira de Deus. Apoc. 16:1.
Em espírito João foi levado ao deserto, onde viu uma besta de cor escarlata que tinham sete cabeças (Apoc. 17:3). As sete cabeças são os sete montes (Apoc. 17:9). São também, segundo o apóstolo, sete reis (Apoc. 17:10). Há um enigma a mais em Apocalipse 17:11: “A besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição.”

Um conselho do Triunfo (O carro): Este momento requer ação e coragem o que não faltarão a você. É momento de transpor os obstáculos que os estavam fazendo andar em círculos, e para isso terá que direcionar todas as suas forças. Com certeza terá sucesso.

No i ching é meng - A insensatez juvenil


Leonardo Rocha '.'

Um comentário:

  1. Meus DEUSES...as postagens de hj vc colocou para mim,concorda? Me emociono muito, vejo tua face, ouço a tua voz como se vc estivesse falando tudo isso prá mim a cada postagem e a cada aprendizado, a cada reflexão que vc me faz fazer...Vc é LUZ meu irmão!Obrigada por tudo,vc é fundamental na escola da vida de qualquer um que tenha vc por perto!TE AMOOO!!! OBRIGADA,as músicas estão perfeitas.FICA NA PAZ e na LUZ!!!NAMASTÊ! JGD!!!

    ResponderExcluir

O que procuras? '.' .'.