“A MAIOR DE TODAS AS IGNORÂNCIAS É REJEITAR UMA COISA SOBRE A QUAL VOCÊ NADA SABE."

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O Símbolo \n/


Muitas pessoas me perguntam acerca do sinal que faço sempre em minhas fotos. Perguntas do tipo: Se você é mesmo do bem por que fazer o sinal do mau? Por que usas os chifres do bode?

http://rochamystic.blogspot.com/p/fotos.html


Bom tentarei aqui resumir porque uso esse símbolo, com algumas ilustrações.

O formato desse símbolo deu margem a diversas interpretações perniciosas por visões cegas e preconceituosas.

Em minha vida particular esse símbolo representa a coragem, liberdade e força, é o Ar (dedo mindinho) e a água (Dedo indicador) equilibrados, O dedo mínimo está relacionado à intuição e à capacidade de comunicação, habilidade e inteligência, enquanto que o dedo indicador está ligado ao modo como encaro o mundo e as pessoas. O dedo mínimo e seu monte representam Mercúrio enquanto que o dedo incicador e seu monte representam Júpiter. Com este símbolo estou dizendo de forma velada que combato em mim o defeito ligado a mercírio (inveja) com a caridade (virtude ligada a Júpiter), e que devo cultivar a paciência (virtude ligada à mercúrio) que combaterá a Gula (defeito ligado à Júpiter), também externo minha fé, fé em um poder superior e minha busca à evolução, assim como o excesso de confiança em outrem e em mim mesmo, bem como a preguiça e ser exagerado, tudo isso ligado à Júpiter. Por incrível que possa parecer lembro sempre dessa passagem ao fazer esse símbolo:

“Lembrai dos lírios do campo, não tecem e não fiam, mas nem Salomão em todo o seu esplendor teve veste mais bela... Deixemos o amanhã para o amanhã e vivamos intensamente o hoje, pois a ninguém é dado a saber se o amanhã virá, mas o hoje temos certeza de já ter recebido.”

Muito antes desse símbolo vir a público ele já era usado por iniciados de diversas culturas que sabiam o seu real significado.


Na figura acima nota-se o Hierofante ou o sumo-sacerdote

Está em uma caverna, usa uma coroa ; em uma mão segura um pergaminho, enquanto a outra mão faz o símbolo.
A metade humana representa a natureza superior, enquanto que a metade cavalo representa a natureza animal, que todos nós temos. A coroa, sobre a cabeça humana, mostra a superioridade da inteligência e do intelecto.
O gesto da mão direita é um gesto que representa benção, um gesto muito antigo. O pergaminho representa o saber oculto, enquanto a caverna representa o recolhimento, a introspecção, a meditação, um caminho para a conciliação das duas naturezas, humana e animal, presentes neste arquétipo.
Fora de controle, denota a arrogância e o abuso de uma inteligência mal dirigida, e a prepotência de um intelecto auto-centrado.

Segundo a tradição dos Yogues este Mudra serve dentre outras coisas, para a purificação das energias do corpo, basta você sentar-se numa posição confortável, manter as mãos nesta posição e relaxar por alguns minutos. Dizem também que este processo alivia as cólicas durante a menstruação, neste ultimo caso, por motivos óbvios nunca tentei. Na tradição Budista ele se chama Tarjani-Mudra. Estimula e facilita a finalização do processo de digestão, equilibrando a eliminação.



No Egito, este mesmo símbolo era utilizado como a representação da cabeça do deus Anúbis, o deus dos mortos, era usado como sinal de proteção contra maus espíritos. O Mudra era feito antes das viagens, como despedida desejando proteção, assim como sinal de benção para os membros das fraternidades esotéricas. Posteriormente através dessas mesmas fraternidades o sinal foi levado a Grécia onde passou a ser utilizado nos cultos Herméticos e Dionisíacos, logo foi associado aos chifres de Dionísio, Baco e Cernunnos. O símbolo representava basicamente sabedoria, boa sorte, benção, prosperidade e era usado como amuleto assim como a famosa Figa que muita gente utiliza até hoje.

Este Mudra chegou em Roma, muitos séculos antes do surgimento do cristianismo, era muito comum, tão comum quanto dar tchau hoje em dia. Mas a partir do século VI depois de Cristo este sinal começou a ser distorcido de acordo com os interesses da igreja católica, na medida em que ela buscava dominar as outras culturas e aniquilar outras religiões.


Em fim, depois de alguns integrantes de bandas de rock que também gostavam de estudar o ocultismo começaram a usar e isso veio a público.... e o público interpreta como quer...









Leonardo Rocha '.'

Um comentário:

O que procuras? '.' .'.