“A MAIOR DE TODAS AS IGNORÂNCIAS É REJEITAR UMA COISA SOBRE A QUAL VOCÊ NADA SABE."

terça-feira, 5 de junho de 2012

Do princípio acausal do Universo




Sempre digo e inúmeras tradições preconizaram que o tempo e o espaço não existem, são apenas criações de nossa mente, mas como comprovar? Como sentir e vibrar isso? Mais ainda, como experienciar esse princípio do Universo, a acausalidade?

Bom, gostaria de começar essa abordagem do tempo com Einstein e sua teoria da relatividade. A título de ilustração, se pegarmos um ônibus espacial a fim de darmos uma voltinha de “15 minutos” na velocidade da Luz ou próximo disso no Universo, quando voltarmos já terão passados 200 anos aqui na Terra.

Para abordarmos o espaço eu cito o “universo das dimensões”, vivemos num mundo tridimensional, nele quando a luz incide em um objeto gera uma sombra bidimensional, será que não somos uma sombra de um Universo quadridimensional?  Esse espaço então tornar-se-ia uma manifestação de consciências próprias tão somente de nós seres tridimensionais.

E a relação de causalidade? O espaço-tempo da Física Relativística é uma dimensão mais elevada e traduz uma maior interligação entre eventos que podem ter conexão causal entre si. Mas o caráter finito da velocidade da luz faz surgir eventos que não estariam relacionados causalmente e para os quais até a ordem cronológica dos elementos poderia ser invertida para dois observadores diferentes. Então, quando os eventos não são causalmente ligados, a Física relativística transcende o mundo da causalidade. Chegamos assim ao estranho mundo do princípio acausal!

É mais ou menos como se fala na física quântica das conexões não locais, podemos ver por exemplo os táquions, que são partículas que viajam acima da velocidade da luz. Podemos inclusive chamar o que vem depois dessas manifestações taquiônicas de causa. A causa que vem depois do efeito? Sim.

Por exemplo: “Admitamos que duas partículas elementares, por exemplo, dois elétrons, interagem de um certo modo, e depois se afastam um do outro a uma grande distância. Se se tentar medir as propriedades de um deles, isso afetará o outro, não importando que estejam a bilhões e bilhões de anos-luz de distância.”  Agora o que esse tipo de comportamento não local diz, é que quando você “mexe” com uma partícula, a outra “sabe” disso, e, o que é espantoso, sabe instantaneamente.

Sendo que se denominarmos essa outra forma de transmissão de “energia” que não seja a da velocidade da luz, se denominarmos outra que transmita instantaneamente informações saímos da teoria da relatividade para uma realidade ainda não “aceita” pela ciência. Que realidade seria essa? É na verdade uma relação acausal de eventos aparentemente “não relacionados.”  No pensamento quântico, os eventos, de um modo geral, não possuem causas definidas. Por exemplo, o salto de um elétron de uma certa órbita atômica para outra órbita pode simplesmente ocorrer sem ter um evento isolado como causa, assim como muitas coisas em nossa vida.


Jung estabelece o princípio acausal em sua Teoria da Sincronicidade. Trata-se de uma conexão acausal entre eventos que estão relacionados de uma maneira significativa. É importante ressaltar que no pensamento sincronístico não há distinção entre fatos físicos e psicológicos. Se por exemplo, nós estivéssemos conversando sobre ÓVNIS e de repente um OVNI aparecesse lá no espaço, estaríamos diante de um fato sincronístico. Dois eventos, a nossa conversa (um fato psíquico), e um OVNI (um fato físico), ligados de uma maneira significativa porém ACAUSAL, isto é, um não é a causa de outro.

Não quero entrar no aspecto da telepatia pois acho que não se aplica uma coisa com a outra, estamos tratando de eventos mensuráveis pela Física ainda quântica (aquela que quantifica). Eu não teria a imperícia de associar uma coisa com a outra pois Jung já estudou isso com as experiências telepáticas de Rhine, este dito paranormal conseguia “adivinhar” as cartas em um número bem maior do que simples adivinhações. Mas Jung jamais admitiu qualquer transferência de energia ou “ação a distância” nesses experimentos, ou seja, o postulado de energia é inaplicável no experimento de Rhine. Nós estudantes das escolas de misticismo sabemos que esses experimentos nada tem a ver com a relação de causa e efeito.

Talvez muitos se espantem com o que vou dizer mas já fora dito em outra ocasião por Jung, o que entendo é que adivinhações em si mesmas, não existem. Tudo o que conhecemos e que não conhecemos, ou seja, tudo o que nossa mente consciente pode abarcar está no inconsciente coletivo, acessível a nós a qualquer momento, tanto o passado quanto o futuro, bastando para isso que nossa consciência tateie esse conhecimento. Para a consciência, os acontecimentos futuros existem como probabilidades.

Claro que as coisas não são isoladas, mas fazem parte de um sistema bem mais complexo do que a simples relação de causalidade. O que quero dizer aqui é que a relação causa-efeito é aplicável a níveis de terceira dimensão e não à tudo como muitos que saem por ai associando tudo a qualquer coisa que julguem síncronas. Não é bem assim. A Lei de Causa e efeito é uma lei dentro de um sistema, assim como a lei da gravidade é uma lei dentro do sistema planetário terrestre, ainda assim com algumas excessões como quando objeto são submersos.

Se pensarmos no tempo presente como reflexo (e não efeito ) de uma relação passado-futuro fora do espaço-tempo vivemos então em um constante reflexo do ontem associado ao porvir... mas será que não é assim, mesmo? A título de b-a-bá, disseram a muito tempo atrás que o que plantamos hoje colheremos amanhã, e  o que plantamos ontem estamos colhendo hoje, será que não estamos verificando pela Física que isso é uma verdade cognoscível, experienciável, melhor dizendo?

 Continua......

Leonardo Rocha .'.

5 comentários:

  1. Poderoso Leonardo Parabéns, lindo o blog. Somos nada diante do todo mas somos tudo diante de todos, aproveitando o ensejo, dia 17 de julho estarei no "6º Encontro de Recursos Humanos do Litoral de SC", com a palestra "Pessoas felizes transformam e multiplicam resultados!".
    Participe no evento! Espero você!

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Muito inteligente =) Meu irmão querido

    ResponderExcluir
  3. Que bom que voltou a atualizar o blog, senti falta. Tuas postagens são sempre de muita ajuda. Paz Profunda.

    ResponderExcluir
  4. A racionalidade em demasia nos faz "frios"em relação a sentirmos o que o nosso semelhante sente, diminuindo a empatia e afeto fraternal,ter conhecimento,ter poder,ter status,ter,ter.E ser? Ser como realmente somos,principalmente quando a máscara da hipocrisia cai,mostrando o nosso verdadeiro 'eu'.As grandes citações feitas por homens notórios nos fazem refletir ,muitas vezes,quão grande somos no turbilhão de particulas cósmicas mas tambem como diminuto é o nosso papel no mesmo universo.

    ResponderExcluir
  5. CONVITE
    Passei por aqui, para lê o seu blogue.
    Admirável. Harmonioso. Eu também estou montando um. Não tem as Cores e as Nuances do Vosso. Mas, confesso que é uma página, assim, meia que eclética. Hum... bem simples, quase Simplória. E outra vez lhe afirmo. Uma página autentica e independente. Estou lhe convidando a Visitar-me, e se possível Seguirmos juntos por Eles. Certamente estarei lá esperando por você, com o meu chapeuzinho em mãos ou na cabeça.
    Insisto que vá Visitar-me, afinal, o que vale são os elos dos sorrisos.

    www.josemariacosta.com

    ResponderExcluir

O que procuras? '.' .'.